Policarpo cobra mudança de postura do Paço em relação ao Legislativo

Presidente da Câmara esteve com o prefeito na manhã desta quarta, 6, quando dois correligionários foram indicados para compor gestão

Foto: Alexandre Tavares

Na manhã desta quarta-feira, 6, o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo (Pros), esteve reunido com correligionários e o prefeito Iris Rezende e saíram de lá com dois partidários indicados para cargos na administração municipal.

Paulo Henrique Rodrigues Silva (Pros) passa a ser o titular do Goiânia Prev, enquanto Reginaldo Melo ocupará uma secretaria extraordinária, que será responsável por intermediar a relação entre o Paço Municipal e a Câmara.

Sobre a última, o Jornal Opção questionou o vereador se não seria uma forma da Prefeitura fortalecer o trabalho do líder do Governo na Casa — cargo atualmente ocupado por Tiãozinho Porto, também do Pros. Policarpo disse que espera que sim, mas frisou: “Não adianta colocar vários atores para facilitar o diálogo se o próprio Paço não melhorar o trato com os vereadores”.

Pros

Sobre o ganho de espaço de seu partido tanto no nível estadual como municipal, o presidente disse que é novato na sigla, mas admite o crescimento. Em relação à interlocução com o prefeito, Policarpo disse que Iris decidiu que o Pros deveria voltar a contribuir com a gestão, já que a legenda o apoiou na disputa pela administração da Capital.

Além disso, o destaque municipal da sigla se consolida com um filiado à frente da Casa, além de Tiãozinho Porto na liderança do governo no Legislativo e, agora, os dois novos integrantes da Gestão Iris. No Estado, têm-se o presidente estadual na vice-governadoria, Lincoln Tejota, e a maior bancada na Assembleia com cinco deputados.

Na primeira sessão da Câmara, o presidente nacional, Eurípedes Júnior (Pros), foi prestigiar o evento. “A vinda dele foi um pedido meu e do presidente estadual para mostrar que o partido está unido, independente das ranhuras”, disse.

O fim de 2018 foi marcado por desentendimentos internos no diretório estadual. Enquanto Policarpo disputava a liderança da Câmara por independência do Executivo, Tiãozinho apoiava o adversário, Paulinho Graus, que, nos bastidores, era tido como nome do prefeito.

Tejota chegou a dizer que a candidatura de Policarpo não era respaldada pelo diretório, enquanto o presidente nacional afirmava que havia orientado os filiados a apoiarem o GCM, sob pena de punição. Todos garantem que está tudo superado. “O que passou passou, temos que caminhar para frente agora”, afirma o vereador.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.