Polêmica entre estilista e clientes vira caso de polícia em Goiânia

Quatorze noivas denunciam que foram lesadas porque Juliana Pereira Santos, conhecida nacionalmente, deixou de cumprir contrato. Profissional nega acusações

Juliana Pereira, estilista acusada de lesar clientes em Goiânia | Foto: Reprodução / Instagram

A estilista goiana Juliana Pereira dos Santos, conhecida nacionalmente por produzir vestidos de noiva exclusivos, é alvo de denúncia na Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), em Goiânia.

De acordo com o delegado Webert Leonardo, um advogado representando 14 clientes da estilista esteve na delegacia  para denunciar que Juliana estaria deixando de cumprir os contratos firmados com as noivas. Segundo o delegado, três vítimas já foram ouvidas pela polícia e as demais deverão comparecer na delegacia nos próximos dias.

“Uma das clientes precisou comprar outro vestido para o casamento da filha porque a estilista ficava enrolando com a data da prova do vestido e acabou não cumprindo o acordado no contrato. Ela ainda mandou um áudio bem agressivo, mostrando pouco caso e desdenho com a situação da cliente”, narra.

Ainda segundo o delegado, o caso vai ser tratado com muita cautela pela Polícia Civil para analisar se a estilista é apenas uma pessoa de difícil relacionamento que trata as clientes com soberba, mas que tenta cumprir seus contratos, ou se ela age com dolo, dando falsas informações sobre o serviço. Neste caso, então, a prática poderia ser considerada estelionato.

“Pelo que já apuramos, tudo indica que ela está deixando de cumprir os contratos sem se preocupar com as consequências disso. Queremos saber se essa é uma prática comum com outras clientes”, conta o delegado. Juliana deve ser intimada pela Polícia Civil para prestar esclarecimentos nas próximos 15 dias.

Tem cliente satisfeita

Juliana Pereira, estilista acusada de lesar clientes em Goiânia | Foto: Reprodução / Instagram

Jornal Opção entrou em contato com clientes da estilista. Leny Novais, empresária, comprou dois vestidos de noiva com Juliana: um para o casamento civil, e outro para o casamento religioso. No entanto, Leny acabou desistindo da segunda cerimônia apesar de já ter feito pagamento antecipado do vestido.

A cliente conta que apesar da situação, não enfrentou nenhum tipo de problema na negociação com a estilista, que se mostrou disposta a utilizar o tecido comprado para confeccionar outros vestidos para a cliente. “Eu não tenho nada para reclamar da Juliana nem do atendimento dela. Ela sempre me atendeu de forma sincera e nunca me destratou. Meu vestido foi muito elogiado e eu o recebi na data correta”, afirma.

Nas redes sociais, a estilista reagiu às denúncias, dizendo ser uma profissional “com muita ideologia” e que “luta pelo que acredita”. Juliana disse ainda que, em resposta à denúncia, vai começar uma campanha de vídeos e pede a participação das clientes para que o fato não prejudique o ateliê.

Resposta

Em entrevista à reportagem, Juliana Pereira dos Santos rebateu as denúncias e disse que, em menos de dois anos de profissão, já entregou mais de 400 vestidos de noivas.

No caso das 14 denunciantes, a profissional conta que todos os contratos foram rompidos pelas clientes, que desistiram do vestido de noiva e pediram ressarcimento de 100% do valor pago. No entanto, afirma a estilista, está previsto em contrato que, em caso de desistência, apenas 30% do valor do vestido seria devolvido.

Sobre o caso específico da cliente identificada como Sandra, que precisou comprar outro vestido para o casamento da filha, Juliana disse que, ao contrário do alegado na denúncia, ela se disponibilizou sim para fazer a prova do vestido.

Para ela, o caso teria se tornado algo pessoal e afirmou que também acionará a antiga cliente na Justiça. “Eu não sou rica, não sou milionária para devolver dinheiro de todo mundo que acordar de pá virada. Tenho dois filhos, estou grávida do terceiro e não sou nenhuma estelionatária”, garante a estilista.

Carreira

Juliana Pereira Santos ficou conhecida nacionalmente como estilista de vestidos de noiva ao participar de programas como o “Encontro com  Fátima Bernardes” da TV Globo e “Hora do Faro da TV Record.

A profissional, que não tem uma das mãos, ficou conhecida como “fada madrinha” das noivas em Goiânia por confeccionar vestidos a preço de custo para mulheres com baixa renda.

7 respostas para “Polêmica entre estilista e clientes vira caso de polícia em Goiânia”

  1. Avatar Jane Urzeda disse:

    Só mesmo quem conviveu com Juliana conhece e sabe como ela é, infelizmente tudo que estão dizendo dela é verdade.Golpista sim.

  2. Avatar Luzia A de Urzeda disse:

    Tudo que estão falando da Juliana é verdade, com o passar dos dias vão aparecer muito mais vitimas, só quem conviveu com essa pessoa sabe do que ela é capaz e a facilidade que ela tem em envolver e enganar as pessoas. Só lamento que tenha demorado tanto para conhecer quem é Juliana Santos.

  3. Avatar Sandra disse:

    Vc só escutou o lado dela !!!!!! Que eu saiba a cliente é amiga dela pessoal …… O filho da Juliana foi pajem do casamento…. que coincidência

  4. Avatar Maria Reis disse:

    Achei a matéria tendenciosa para o lado da estilista.
    Ela tem uma série de reclamações, de muitos anos.

    https://www.reclameaqui.com.br/empresa/juliana-tereza/
    Esse é o link com reclamações sobre ela no “Reclame Aqui”
    Comprei curso online, paguei e não recebi o produto.
    Comprei camiseta personalizada, paguei e não recebi o produto.
    Comprei vestido, paguei e não recebi o produto.

    Realmente, ela tem muitas clientes satisfeitas. E a coisa mais normal é uma empresa ter clientes insatisfeitos.
    Nem Jesus agradou a todos.
    Mas um bom profissional precisa saber lidar com as clientes insatisfeitas também. Precisa ser educado, explicar com paciência, ouvir e tentar resolver da melhor maneira possível.
    Xingar, brigar, fazer escândalo, encher de ameaças, fazer barracos nas redes sociais, não são boas maneiras de resolver os problemas.

    Multa de rescisão de 100% ou 70% são abusivas. Mesmo quando ambas as partes assinam. Quando isso chega na justiça, o juiz não aceita. Ela está errada sim.
    E pesquisem quantas pessoas ela de fato ressarciu algum valor.

    Ouçam as mulheres que foram lesadas por ela também. Vejam os áudios e vídeos que elas têm guardados, escutem a angústia das pessoas que viram seu sonho do vestido perfeito ir por água abaixo.

    Obrigada pela atenção!

  5. Avatar Renata loiola disse:

    Eu tb fui vitima desta golpista!! Ela me fez pagar o vestido todo antes e depois mal respondia as minhas mensagens… fez um grande pouco caso de mim. Moro na belgica uma amiga trouxe o vestido do brasil pra mim em uma sacolinha velha.. qd abri o vestido tive uma grande decepção nao tinha nada a ver com o combinado.. tentei falar com ela e ela simplesmente me bloqueou de todas as redes sociais. Me senti injustiçada, de maos atadas… sei exatamente oq essas noivas estao sentido e torço para que elas sejam indenizadas

  6. Avatar Thays R. disse:

    Pessoal, temos que parar de tanto ódio no coração. Eu fui uma das noivas à cegas dela, ocorreu tudo bem, o vestido foi entregue lindamente no dia proposto e ficou maravilhoso. E não sou amiga dela, nunca tinha nem ouvido falar dela na época.

  7. Avatar Mirelle Pereira disse:

    Em 2015 também comprei um vestido com ela e foi a pior decepção da minha vida, faltando 5 dias para o meu casamento eu tive que correr atrás para alugar outro vestido, pois o vestido feito e enviado pela Juliana veio um lixo, todo descosturado, pescando, um trabalho de porco total!!! Me senti totalmente lesada! Saí do RJ para ir em Goiânia fazer a prova pra receber um lixo de vestido! E ela ainda ficou com raiva de mim quando viu minhas fotos com outro vestido e me mandou varias mensagens grosseiras, como se eu fosse obrigada a casar com aquele lixo que ela havia me enviado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.