PMGO apresenta grupo suspeito de extorsão e sequestro contra gerente de banco

Grupo praticou assalto conhecido como “sapatinho” na última quinta-feira, dos oito integrantes da quadrilha, seis foram presos e dois morreram em confronto com a polícia

Grupo foi apresentado na manhã desta terça-feira (6/9) | Foto: Reprodução/Facebook

Grupo foi apresentado na manhã desta terça-feira (6/9) | Foto: Reprodução/Facebook

A Polícia Militar de Goiás (PMGO) apresentou na manhã desta terça-feira (6/9) os suspeitos do sequestro e extorsão de um gerente de um banco em Anápolis. Participaram da apresentação o vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Éliton, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves de Oliveira e o delegado geral da Polícia Civil, Álvaro Cássio.

O grupo foi desarticulado graças à ação conjunta da PMGO com a Delegacia da Polícia Federal de Araguaína (TO). Quatro operações foram realizadas simultaneamente para prender todo o grupo.

O vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton (PSDB) destacou o trabalho da Polícia Militar, principalmente das unidades especializadas da PM. “ Para que os suspeitos fossem presos houve uma integração entre as forças policiais , mas ressalto a participação das unidades especializadas da PM, que agiram de forma determinada e eficiente na resolução da ocorrência”, parabenizou.

Eliton ressaltou ainda que o grupo preso não tem ligação com a explosão de caixas eletrônicos do Banco do Brasil que ocorreu nesta madrugada. “O caso de hoje foi isolado, as forças policiais já estão ciente e investigando o caso. Relembro a todos que todos os casos deste tipo, de explosão a caixas eletrônicos, foram solucionados de forma rápida. O Estado de Goiás tem estes crimes combatidos e cem por cento solucionados”, pontuou.

Sequestro

O assalto ao banco Bradesco de Anápolis aconteceu na última quinta-feira (1º), quando o grupo sequestrou familiares do gerente, amarraram dinamites no corpo dele e o obrigaram a seguir até a agência e abrir o cofre, de onde teriam tirado todo o dinheiro. Este tipo de ação é conhecido como “sapatinho”, já que os criminosos a executam sem chamar a atenção dos demais funcionários do banco e da polícia.

O comandante geral da PM explicou que na ação que prendeu os suspeitos de sequestrarem o gerente do banco houve resistência e, desse modo, dos oito integrantes do grupo, dois morreram. “A Polícia Militar tem o compromisso de agir de maneira enérgica, dura, mas dentro da legalidade. Quem decide a nossa reação é o infrator da lei: nossos policiais estão preparados para as reações dos criminosos”, destacou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.