PMERJ abre procedimento para apurar a ação que culminou na morte de Agatha

Ágatha foi a 16º criança vítima de violência armada neste ano no Grande Rio, e a quinta que não resistiu aos ferimentos

Foto: Reprodução

O Governo do Estado do Rio de Janeiro informou por meio de nota que lamenta profundamente a morte da menina Ágatha, assim como a de todas as vítimas inocentes, durante ações policiais. Além disso, disse que a PMERJ abriu um procedimento para apurar a ação dos policiais no Complexo do Alemão.

Segundo a PMRJ, por volta das 22h de sexta-feira, 20, equipes policiais da UPP Fazendinha foram atacadas de várias localidades da comunidade de forma simultânea. Os policiais teriam revidado à agressão. No entanto, todas as circunstâncias da ação serão apuradas pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

Ainda de acordo com os policiais da UPP Fazendinha, após confronto, eles foram informados por moradores que Ágatha Félix, de 8 anos, tinha sido atingida e levada para o Hospital Getúlio Vargas. De acordo com a plataforma Fogo Cruzado, Ágatha foi a 16º criança vítima de violência armada neste ano no Grande Rio, e a quinta que não resistiu aos ferimentos

Nas redes sociais, o governo do Rio disse ainda que a política de segurança no Estado é baseada em inteligência, investigação e reaparelhamento das polícias. “O trabalho segue protocolos rígidos com a preocupação de preservar vidas. Nos 8 meses de 2019, homicídios dolosos diminuíram 21% (menos 744 mortes), o menor índice desde 2013”, finaliza.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.