Proposta está na CCJ e deve receber parecer contrário a aprovação do vereador Jorge Kajuru (PRP)

Com a maior bancada da Câmara Municipal, o PMDB deve manter voto contrário ao aumento contínuo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Goiânia. Chegou à Casa há duas semanas novo projeto da prefeitura que estabelece aumentos a imóveis de valor venal acima de R$ 500 mil.

[relacionadas artigos=”107606″]

Segundo o líder do partido do prefeito Iris Rezende (PMDB) na Casa, vereador Clécio Alves, mais uma vez ele vai fechar questão para que os vereadores do partido votem contra o aumento de impostos. “Não só vou fechar questão, como já disse ao prefeito. Ele pode contar comigo para o que precisar, mas não apoio aumento de impostos de forma alguma”, disse em entrevista na manhã desta terça-feira (31/10).

Quando da votação do projeto de vereador Elias Vaz (PSB), que acabou com a cobrança do IPTU contínuo em Goiânia, Clécio fechou questão pelo voto favorável à proposta e contra interesse do Paço.

O novo projeto está na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ). O relator, vereador Jorge Kajuru (PRP) já adianta que seu parecer deve ser contrário à aprovação da matéria.

Aumento da bancada

O PMDB passou a ter a maior bancada na Casa, com quatro vereadores, após aprovação de pedido de afastamento do vereador Paulinho Graus (PDT), por motivos pessoais. O primeiro suplente, Tiãozinho do Cais (PRTB), assumiu o mandato nesta terça-feira, mas já disse que vai se licenciar também, deixando a vaga para o peemedebista Markin Goya.

[relacionadas artigos=”108729″]

Ventilou-se, inclusive, que as substituições seriam uma articulação para que a prefeitura consiga os votos necessários para aprovação do projeto do IPTU, o que foi negado tanto por Paulinho, quanto por Clécio e Goya.

“O próprio Paulinho Graus disse que, se for preciso, ele reassume o mandato para votar a favor do povo. E eu também conheço o vereador Markin, uma pessoa simples, humilde, que preza pelo seu futuro político. Não creio que vai querer ser sepultado logo na primeira oportunidade, votando a favor de aumento de imposto”, completou Clécio Alves.

Ao Jornal Opção, Markin Goya disse estar feliz com a oportunidade de assumir o mandato, e que não “enviado” à Casa por combinação para votar em nenhum projeto. “Não tem acordo de votar isso ou aquilo. Foi uma oportunidade que me foi dada, quis Deus e o destino que eu estivesse aqui então vou realizar o trabalho da melhor maneira possível, com a anuência dos meus mais de 3 mil eleitores que me confiaram esse mandato”, disse.

Sobre o IPTU contínuo, ele afirmou que ainda não tem posicionamento definido. “Eu nem cheguei na Casa ainda, não se fala em projeto de IPTU ou qualquer outro. Não tem combinação nenhuma. Primeiro tenho que tomar posse e, a partir daí, vou apresentar meu requerimentos, meus projetos de lei que tenho desejo. Outras questões só o tempo dirá”, arrematou.

Com Goya, o PMDB passa a ter quatro vereadores. Também compõem a bancada o vereador Wellington Peixoto e o presidente da Câmara, vereador Andrey Azeredo.