PM implanta Bope e comandante-geral afirma que “bandido não tem nome em Goiás”

Goiás é 15º Estado a implantar o Bope – tropa que será empregada em ocorrências complexas, que requeiram alto grau de especialização

BOPE

Foto: Thiago Araújo/Jornal Opção

A Polícia Militar de Goiás implantou oficialmente, nesta sexta-feira (5/12), o Batalhão de Operações Especiais (Bope) que atenderá ocorrências complexas, que requeiram alto grau de especialização, em todo Estado. Na ocasião, o comandante-geral da PM, cel. Silvio Benedito Alves, explicou que o BOPE é a expansão da Companhia de Operações Especiais (COE) e afirmou que o novo batalhão atenderá ocorrências críticas, como o assalto a três carros-fortes que ocorreu no início desta semana na BR-153 entre Morrinhos e Goiatuba, e resultou na morte de três seguranças.

“Vale ressaltar que os meliantes que praticaram este crime são um braço do Primeiro Comando da Capital [CPP] que está em Uberlândia, em Minas Gerais, e São Paulo. Aqui em Goiás, bandido nunca teve nome e eu desafio alguém dizer que o contrário. Aqui, não tem lugar que a PM não entre, diferentemente de outros Estados da federação”, disse, em tom crítico, o cel. Silvio Benedito Alves.

Além disso, a solenidade foi marcada pela formatura de 33 policiais da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), passando, a partir de agora, a funcionar com 20 equipes nas ruas da Grande Goiânia.

unnamed

Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Ainda de acordo com o comandante-geral da PM, atualmente a Rotam conta com um efetivo de 180 policiais e o recém-implantado Bope terá um efetivo de 86 homens para atender os 246 municípios de Goiás. “Nossos armamentos são potentes e de grosso calibre e o treinamento dos policiais do Bope foram realizados no Rio de Janeiro. Isso  mostra que estamos preparados para qualquer grande ocorrência”, pontuou.

 

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.