Política deve sair da Secretaria Municipal de Direitos Humanos para concorrer a uma das 17 cadeiras disponíveis para o Estado na Câmara dos Deputados

Titular na Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, a ex-vereadora Dra. Cristina (sem partido), conversa com o Republicanos, partido do prefeito Rogério Cruz, e também com siglas de centro e de centro-esquerda para concorrer a uma das 17 cadeiras de Goiás na Câmara Federal. Ao Jornal Opção, Cristina disse que ainda não definiu o partido, somente a candidatura a ser pleiteada, que é a de deputada federal. Apesar das conversas nos bastidores, ninguém bate o martelo sobre a ida dela para o Republicanos. 

Ex-PV, PSDB e PL, por onde concorreu à prefeitura de Goiânia em meio a um processo de judicialização após a agremiação recuar sobre o lançamento da candidatura dela, a política diz que com está “dialogando” com algumas siglas. Entre elas está o Republicanos, que conta, além doe Rogério Cruz, com um pré-candidato ao Senado Federal, o deputado federal João Campos, também presidente do Diretório Regional. “Estou dialogando, compreendendo o cenário presente e a perspectiva futura, mas ainda não defini partido, apenas a candidatura pleiteada [deputada federal]”, diz. 

Com prazo final para a desincompatibilização findando no próximo dia 2 de abril, Dra. Cristina pretende deixar o posto sem pendências. “Vamos entregar a melhor gestão, com projeção de projetos e de continuidade com ampliação e novas projeções para a pasta”, comenta a ex-vereadora. Ela tem ambição de indicar o sucessor, no entanto, afirma que essa prerrogativa é do prefeito Rogério Cruz. “Seria positivo eu poder indicar, mas não cabe a mim”, acrescenta.