Plenário da Câmara começa discussão sobre denúncia contra Temer nesta quarta-feira (2/8)

Para que a votação ocorra, é necessário um quórum de 342 deputados. Temer foi denunciado pela PGR por corrupção passiva

Votação pode acontecer já nesta quarta-feira (2/8), caso quórum seja suficiente | Foto: José Cruz/Agência Brasil

Começa nesta quarta-feira (2/8) a discussão no plenário da Câmara dos Deputados sobre a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB). O início da sessão está marcado para as 9 horas e os trabalhos devem se estender por todo o dia. A expectativa é de que a votação aconteça ainda nesta quarta (2).

O parecer da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ) sobre a denúncia foi lido em plenário na última terça-feira (1º/8) e o presidente já foi notificado. O relatório foi pela rejeição da denúncia.

A discussão da denúncia só poderá ser iniciada quando estiverem presentes no plenário pelo menos 52 deputados. Para a votação, é necessário quórum de 342 deputados e a discussão só pode ser encerrada com 257 deputados presente no Plenário. Se mantida a posição da CCJ, o processo fica em suspenso e a Justiça só poderá avaliar a denúncia quando Temer deixar o cargo. Caso a Câmara dê autorização, o Supremo Tribunal Federal (STF) poderá seguir com ela.

 A votação só pode começar com a presença de 342 parlamentares. A votação será por chamada nominal, começando pelos deputados de um estado da Região Norte e, em seguida, os deputados de um estado da Região Sul.

Temer foi denunciado por corrupção passiva após a delação premiada do dono do grupo J&F, Joesley Batista. Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ele era o real destinatário da mala de dinheiro com a qual o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB) foi flagrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.