PGR recebe denúncia sobre superfaturamento em contratos de compra de cloroquina

Empresa mineira vendeu ao Exército ao menos dois lotes de insumos importados para a fabricação de cloroquina por valor 167% acima do cobrado anteriormente

Foto: Reprodução.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR), em agosto, uma denúncia que pede a responsabilização dos ministros da Saúde, Eduardo Pazuello, e da Defesa, Fernando Azevedo, pela compra dos insumos e fabricação da cloroquina. A PGR ainda analisa se vai instaurar algum procedimento.

A denúncia se refere a uma empresa de Minas Gerais que vendeu ao Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército (LQFEx) ao menos dois lotes de insumos importados para a fabricação de cloroquina por um valor 167% mais alto do que a mesma havia cobrado em venda para mesma instituição dois meses antes. O custo total desses contratos mais caros foi de R$ 782,4 mil aos cofres públicos.

O documento aponta que o remédio não tem comprovação científica em relação à eficácia para o tratamento da Covid-19 e afirma que “o governo federal está em verdadeira campanha para a utilização de um medicamento ineficiente, o que torna a conduta dos representados ainda mais reprovável.”

(Com informações da CNN Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.