PGR diz ao STF que vai apurar ataques de Bolsonaro contra urnas eletrônicas

Augusto Aras obedeceu ao limite de 24 horas para Procuradoria se manifestar, após determinação da ministra Cármen Lúcia

O procurador-geral da República, Augusto Aras, informou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta segunda-feira, 16, ter determinado a abertura de apuração preliminar sobre a conduta de Jair Bolsonaro (sem partido) nos ataques ao sistema eletrônico de votação.

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia, mais cedo, havia dado 24 horas para a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestar sobre o assunto, depois de entender as atitudes do presidente como “graves”.

Cármen Lúcia havia dado prazo de 24 horas a Augusto Aras para tomar providências sobre pedido de apuração | Fotos: Reprodução

Foi a segunda vez em que a magistrada havia cobrado uma posição da PGR sobre o caso. Como ressaltou no texto, a notícia-crime foi encaminhada no último dia 3, mas não houve parecer do órgão. “O manifesto interesse público e superior da Nação impõem a observância de prioridade no andamento processual do caso”, escreveu.

O pedido de abertura de investigação foi feito por parlamentares do PT por conta das declarações de Bolsonaro durante a live de 29 de julho, em que questionou a segurança das urnas eletrônicas.

Os petistas querem que seja esclarecido: a) se houve improbidade administrativa pelo uso da TV Brasil para a transmissão; b) se houve propaganda eleitoral antecipada; c) se houve abuso de poder político e econômico; e d) se houve prática de crime de divulgação de fake news eleitoral.

Clique aqui para ter acesso ao documento da PGR.

* Com informações do portal Metrópoles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.