PGR arquiva investigações contra magistrados por supostas vendas de decisões judiciais

Segundo a Procuradoria Geral da República, não foram encontradas provas contra os investigados

| Foto: José Cruz/Agência Brasil

A Procuradoria Geral da República (PGR) arquivou as investigações para apurar supostas vendas de decisões judiciais e tráfico de influência, envolvendo o magistrado Ronnie Paes Sandre, a advogada Caroline Marques Sandre e os desembargadores Gilberto Marques e Orloff Neves Rocha.

Os citados eram investigados em inquérito sigiloso da PGR, depois que um empresário afirmou ter pago para que os magistrados concedessem decisões judiciais favoráveis a empresas em recuperação judicial. O empresário Alceu Lima Neto, da Usina Centroálcool S/A disse ter depositado R$800 mil para obter duas decisões favoráveis à sua empresa durante o processo.

A investigação chegou a cumprir mandados de busca e apreensão contra advogados, juízes, desembargadores e empresários. A ação foi um desdobramento da Operação Máfia das Falências, deflagrada em novembro de 2019.

Segundo nota da PGR, não houve nada de errado encontrado contra os citados. Leia na íntegra:

A Procuradoria Geral da República pediu arquivamento da investigação instaurada para apurar supostas vendas de decisões judiciais e tráfico de influência, em relação ao magistrado Ronnie Paes Sandre, a advogada Caroline Marques Sandre e os Desembargadores Gilberto Marques e Orloff Neves Rocha. Os sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático foram quebrados e nada de errado foi encontrado contra os mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.