PF prende integrantes de quadrilha que vendiam diplomas de medicina em Goiás

Grupo falsificava documento e auxiliava pessoas que se formavam no exterior a obter o registro do CRM no Brasil

Operação foi deflagrada pela Superintendência da Polícia Federal de Goiânia | Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

A Política Federal cumpriu nesta quinta-feira (20/7) dois mandados de prisão temporária e três de busca e apreensão contra integrantes de uma quadrilha especializada na falsificação de diplomas de medicina. As diligências foram realizadas nas cidades de Goiânia e Acreúna.

Segundo investigações da Operação “Diploma Fácil”, o grupo criminoso, que tinha sede em Goiás, vendia diplomas falsos de graduação em medicina de instituições de ensino do sul do País para pessoas formadas no exterior. O documento falsificado era vendido por quantias de R$ 100 mil a R$ 150 mil.

Além da venda do diploma, a quadrilha também auxiliava os “clientes” nos trâmites de requerimento para registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). A investigação, que se iniciou em abril de 2016, identificou seis tentativas de registro e dois êxitos, estes já anulados pelos CRMs. Foram constatadas tentativas de registro nos CRMs de Goiás, Sergipe e Bahia.

Os integrantes do grupo criminoso responderão pelos crimes de associação criminosa, falsidade documental e uso de documento falso. As penas conjuntas desses delitos podem chegar a 13 anos de reclusão.

Já os graduados em medicina no exterior que contrataram os serviços do grupo criminoso são investigados por uso de documento falso, cuja pena máxima é de 5 anos de reclusão. (Com informações PF)

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.