PF investiga sobrepreço de até 300% na aquisição de materiais no combate à Covid-19, em Crixás

Cerca de 70 policiais federais e 10 servidores da CGU cumprem 15 mandados de busca e apreensão nas cidades de Crixás, Rubiataba, Aparecida de Goiânia e Goiânia

Empresas em Aparecida de Goiânia e Goiânia são alvo da PF | Foto: Reprodução/ PF

A Polícia Federal, com apoio da Controladoria Geral da União (CGU), deflagrou nesta quinta-feira, 3, a Operação Aventura, com o objetivo de apurar irregularidades na contratação de empresas para o fornecimento de materiais hospitalares relacionados ao combate à Covid-19, no município de Crixás (GO).

Cerca de 70 policiais federais e 10 servidores da CGU cumprem 15 mandados de busca e apreensão nas cidades de Crixás, Rubiataba, Aparecida de Goiânia e Goiânia.

A investigação constatou que aproximadamente R$ 4 milhões em recursos públicos federais recebidos pelo município de Crixás, destinados ao enfrentamento da pandemia, foram repassados às empresas investigadas, com sobrepreço de itens entre 100% e 300% se comparados à média nacional de preços do Painel de Contratações relacionada à Covid-19.

Segundo a PF, a partir da análise do material apreendido, juntamente com os relatórios de fiscalização da CGU, as apurações se concentrarão em identificar o destino dado aos recursos desviados.

Estão sob investigação os crimes de fraudes a procedimentos licitatórios (artigo 90 da lei 8.666/93), dispensa indevida de licitações em procedimentos administrativos (artigo 89 da lei 8.666/93), ou com direcionamento da contratação (artigo 92 da lei 8.666/93), desvio/apropriação indevida de recursos públicos, (artigo 96, inciso IV, da lei 8.666/93 e art. 312 do CP), corrupções passiva e ativa (artigo 317 e 333 do CP) e associação criminosa (artigo 288 do CP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.