PF faz busca e apreensão contra deputado e blogueiro bolsonaristas

No total são cumpridos 21 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Santa Catarina e no DF

Deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ)

A Polícia Federal cumpre nesta terça-feira 21 mandados de busca e apreensão no inquérito presidido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que investiga o financiamento e a origem de recursos usados na organização de manifestações antidemocráticas.

Entre os alvos estão o blogueiro Allan dos Santos e o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), ambos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, de acordo com publicação de ambos em uma rede social. No total são cumpridos 21 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Santa Catarina e no DF.

Em sua conta no Twitter, Daniel Silveira disse que agentes da Polícia Federal foram ao apartamento onde mora nesta manhã. “Polícia Federal em meu apartamento. Estou de fato incomodando algumas esferas do velho poder. E cada dia estarei mais firme nessa guerra!”, escreveu o parlamentar.

O blogueiro Allan dos Santos também confirmou a ida da PF à sua residência. “A Polícia Federal está novamente na sede do Terça Livre na manhã desta terça-feira, residência do jornalista Allan dos Santos. De acordo com informações recebidas, as autoridades relacionam a visita com a prisão da ativista conservadora Sara Winter”, afirma nota no site Terça Livre.

Também são alvos o empresário Otavio Fakhoury, que já admitiu publicamente ter financiado manifestações pró-Bolsonaro, e Camila Abdo, militante bolsonarista nas redes que é assistente parlamentar de um deputado estadual.

A ação é uma sequência da operação feita na segunda-feira, 15, que levou à prisão de Sara Winter e outras cinco pessoas ligadas ao grupo 300 do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.