PF deflagra operação contra fraude na fiscalização de postos de combustíveis em Goiás

Agentes do Inmetro e empresários são alvo de ação em conjunto com a Polícia Civil de Goiás. Superintendente do Inmetro Goiás foi afastado do cargo

Foto: Divulgação / PCGO

A Polícia Federal, em conjunto com a Polícia Civil de Goiás, deflagrou nesta terça-feira (6/2) a Operação Fiel da Balança, contra esquema de pagamento de propina a fiscais do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia de Goiás (Inmetro) para omitirem adulteração na venda de combustíveis em postos de Goiás.

São cumpridos 17 mandados de prisão temporária, expedidos pela Justiça Federal e Justiça Estadual, contra envolvidos no esquema. Cerca de 60 policiais cumprem diligências nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Inhumas, Caturaí, Pires do Rio e Caldas Novas.

A investigação constatou que fiscais recebiam propina de donos de postos de combustíveis para omitirem adulteração nas bombas, permitindo que a quantidade de gasolina e etanol vendida fosse inferior ao que era cobrado.

São alvos desta fase da operação fiscais do Inmetro, bem como proprietários de postos e mecânicos de bombas de combustíveis. A Justiça Federal de Goiás também determinou o afastamento do Superintendente Regional do Inmetro em Goiás, acusado de obstruir as investigações. 

Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa e passiva e também por crimes contra as relações de consumo, podendo as penas chegar a 12 anos de reclusão e multa.

O Jornal Opção tentou contato com o Inmetro Goiás para posicionamento sobre as investigações, mas ainda não obteve resposta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.