Subsidiária da Petrobrás teria causado prejuízo de R$ 611 milhões em contratação irregular

Foto: Reprodução

A Polícia Federal, juntamente com o Ministério Público Federal, deflagrou na manhã desta quarta-feira, 19, a Operação Navegar é Preciso, que constitui a fase 72 da Lava Jato. O intuito da operação é combater supostas fraudes em licitações da Transpetro, subisidiária da Petrobrás responsável pelo transporte de combustível e pela importação e exportação de petróleo e derivados, para compra e venda de navios.

De acordo com o jornal Estadão, os agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão em Alagoas, São Paulo, Niterói e Rio de Janeiro e dois de prisão na capital paulista.

A suspeita é que um estaleiro, contratado por R$ 857 milhões para fornecer os navios, pagou propina para um executivo da estatal. O prejuízo com a contratação é estimado em cerca de R$ 611 milhões.