Petrobrás corta ponto e contrata substitutos para grevistas

Cerca de 20 mil, dos 73 mil funcionários, estão paralisados há 17 dias. Líder do síndicato diz que vai acionar a Justiça

Petrobrás diz que irá cortar ponto de grevistas e contratou empresas para substituir envolvidos em mobilização / Foto: Agência Brasil

Pelo menos 20 mil trabalhadores da Petrobrás estão de greve há 17 dias. Em Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, onde ocorre a maior parte da mobilização, 35 das 39 plataformas de extração de óleo estão paralisadas. Com isso, a empresa anunciou que estará terceirizando a operação e manutenção das unidades de produção de petróleo e gás offshore.

Ainda, de acordo com comunicado da petroleira, os grevistas estão recebendo descontos nas folhas de pagamento pelos dias não trabalhados.As contratadas pela Petrobrás trabalham “para suprimento de mão de obra especializada e certificada para atuar em suas plataoformas prórias enquanto durar o movimento grevista”, informou.

Para o diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, disse que as atitudes da empresa não são legais e que o sindicado irá procurar a Justiça. “A gestão da Petrobras atua com truculência, cortando salário antes de terminar o movimento grevista e contratando substitutos para funcionários que estão exercendo o direito constitucional de fazer greve”, disse.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.