Petição pede a construção de um monumento em homenagem aos operários mortos nas obras da Copa

A iniciativa é de Keille Pereira, filha de Fábio Luiz Pereira, 42 anos, um dos três operários que faleceram em um acidente na Arena Corinthians

operario abaixo assinado

Keille Pereira, criadora da petição, e o pai, Fábio Luiz Pereira, morto durante a construção da Arena Corinthians

Uma petição hospedada no site Change.org pede o reconhecimento dos trabalhadores mortos nas obras da Copa do Mundo e a construção de um monumento em homenagem a eles . A iniciativa é de Keille Pereira, filha de Fábio Luiz Pereira, 42 anos, um dos três operários que faleceram em um acidente na Arena Corinthians.

A tragédia ocorreu no dia 27 de novembro do ano passado. Um guindaste, que estava do lado de fora do estádio, tombou e atingiu parte da estrutura das arquibancadas. Quatro equipes dos bombeiros, do Samu e da Polícia Militar (PM) foram mobilizadas para o local do acidente.

“A partir daí, a vida da minha família se transformou. A alegria e os sonhos que transbordavam em minha casa foram enterrados junto com meu pai, que trabalhou para construir o estádio”, diz Keille no abaixo-assinado. “Fiquei triste quando assisti a abertura e não ouvi nenhuma menção aos operários que deram suas vidas para erguer os estádios. Esses guerreiros também fizeram parte da Copa do Mundo.”

Ela pede que a Fifa e o governo se lembrem que “por trás do ‘espetáculo’ existem famílias sofrendo pela perda dos seus entes queridos”. A forma escolhida por ela para representar esse reconhecimento foi a construção de um monumento. “Prefiro que seja na entrada da Arena Corinthians, para mostrar aos visitantes a importância que esses homens tiveram para a Copa”, pontua.

Além dos três operários falecidos na Arena Corithians, outros três morreram na Arena Amazônia, um na Arena Pantanal e outro no Mané Garrincha, em Brasília. “Meu pai e os outros trabalhadores ficariam felizes com essa homenagem. O que posso fazer por meu pai agora é rezar pela sua alma e fazer com que ele seja lembrado pelas pessoas pelo que ele fez na Terra.”

Mais de 30.000 pessoas já assinaram o abaixo-assinado. Você pode apoiá-la clicando aqui.

Dor semelhante à das famílias dos operários brasileiros está sendo sentida por milhares pessoas do Qatar, no Oriente Médio. A Copa do Mundo de 2022, que o país deve sediar, já pode ser considerada um evento trágico. Desde o início dos preparativos até junho deste ano, 964 operários morreram em obras do evento. Além do risco à segurança dos trabalhadores, há denúncias de baixa remuneração e alojamentos precários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.