“O pessoal dói mais que a questão política”, diz Vanderlan Cardoso sobre morte de Eduardo Campos

O ex-governador de Pernambuco viria a Goiânia nesta sexta-feira (15) para participar de caminhadas na região noroeste da capital ao lado do governadoriável

Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção Online

Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção Online

O candidato ao governo de Goiás pelo PSB, Vanderlan Cardoso, reuniu a imprensa no diretório estadual da legenda, na tarde desta quarta-feira (13/8), para comentar sobre a morte do presidenciável Eduardo Campos, vítima de um acidente aéreo em Santos. Emocionado, o pessebista disse que ficou em estado de choque ao saber da morte do colega de partido, com quem também matinha relações pessoais e de negócio. “O pessoal dói mais do que a questão política”, afirmou.

Eduardo Campos viria a Goiânia nesta sexta-feira (15) para participar de caminhadas na região noroeste da capital ao lado de Vanderlan. Em entrevista, o governadoriável disse que Eduardo estava bastante animado com a visita, que duraria o dia todo. “Aprendi muito com ele. É um dos poucos políticos que conheci que reúne o técnico e também o político”, acrescentou.

Com a morte de Eduardo, a candidata à vice-presidente Marina Silva (PSB) passa a ser cotada para assumir a ponta da disputa. O nome da ex-senadora poderá ser confirmado em convenção somente entre os integrantes da comissão executiva nacional, que deve ser realizada em dez dias a partir de hoje. A Justiça Eleitoral deverá ser comunicada após esse prazo sobre a decisão da coligação.

Questionado sobre os rumos que o partido deve tomar, agora que se encontra sem um candidato à presidência, Vanderlan afirmou que esta decisão cabe a todos os partidos da aliança, formada por PPS, PPL, PRP e PHS, além da Rede Sustentabilidade. “Não tivemos nem tempo e nem cabeça para analisar a questão”, justificou. Quanto à situação aqui em Goiás, o pessebista disse que tudo continuará conforme planejado. “É o mínimo que podemos fazer por sua memória.”

Vanderlan também aproveitou a ocasião para condenar as inúmeras especulações que já surgiram quanto às causas do acidente aéreo que vitimou seu colega de partido. Para ele, tratou-se de uma fatalidade. “Está havendo muitas especulações, mas acredito que tenha sido pelo mau tempo. Não acredito em sabotagem”, avaliou.

Os compromissos de campanha do governadoriável previstos para essa semana foram cancelados. Vanderlan já confirmou presença na cerimônia de sepultamento do corpo de Eduardo, que deve ocorrer em Recife.

Acidente aéreo

Eduardo Campos estava no jato que caiu em Santos na manhã desta quarta-feira (13/8). O ex-governador de Pernambuco estava com os assessores Pedro Valadares e Carlos Percol, e um fotógrafo ainda não identificado. Eles estavam a caminho do evento SantosExport. A candidata à vice-presidência Marina Silva não estava a bordo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave caiu, por volta das 10h, em uma casa na altura do número 50 da Rua Vahia de Abreu, na esquina com a Rua Alexandre Herculano, no bairro do Boqueirão.

De acordo com o Comando da Aeronáutica, a aeronave é um Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, que decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto de Guarujá (SP). Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.

Uma resposta para ““O pessoal dói mais que a questão política”, diz Vanderlan Cardoso sobre morte de Eduardo Campos”

  1. Avatar márcio costa rodrigues disse:

    Lamento tanto quanto lamentaram minha demissão da Embrapa. No Brasil quando é ladrão de terno e gravata, devemos chorar. Quando usa havaiana é “bandido bom é bandido morto”. ROMÁRIO na vice da Marina. Tudo pela famíla, deles é claro. A minha que se foda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.