Pesquisa revela que 63% dos municípios no Brasil vacinam adolescentes

Além de imunização de pessoas a partir de 12 anos, Confederação Nacional dos Municípios fez levantamento de lugares onde se aplica 3ª dose. Início de aulas, números de casos registrados e andamento da vacinação são destacados

Vacinação de adolescentes avança no país. | Foto: reprodução

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) apontou que 63% dos municípios brasileiros vacinam adolescentes acima de 12 anos contra Covid-19. Outros 37% estão na fase de imunizar pessoas que tem entre 18 e 24 anos. O número de cidades que faz campanha para faixa etária acima de 24 anos não passou de 1%. O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 23 de setembro para 26ª edição da pesquisa e ouviu 2.461 gestores municipais.

Outro dado revelado é com relação à aplicação da 3ª dose em idosos. Segundo a pesquisa, 60% das cidades iniciaram a campanha para reforço. Das que ainda não começaram, 84% admitem que darão início nos próximos dias.

O Ministério da Saúde orientou, no último dia 16, a suspensão de vacinação de adolescentes. A pesquisa mostrou que 75% das cidades brasileiras não seguiu a recomendação. O posicionamento técnico da CNM é para que a imunização de crianças e adolescentes seja reforçada, conforme autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A pesquisa levantou, ainda, que 78% dos municípios deram início às aulas presenciais, um total de 1.921 cidades. As atividades precisaram ser suspensas por conta de casos de Covid-19 em 23% desses locais.

Além disso, foi verificado que um em cada cinco municípios ficou sem imunizantes nesta semana. Em quase metade deles, faltou vacina para 1ª dose, especialmente da Pfizer. Para a 2ª dose, 70% das cidades afirmaram que a maior defasagem foi na vacina da AstraZeneca.

Apenas 5% dos municípios pesquisados admitiram aumento no número de óbitos por Covid-19. Por outro lado, 74% das cidades não registraram mortes pela doença. As internações também apresentam cenário otimista, 59% dos municípios não tiveram novas internações; 16% apresentaram estabilidade; 15% queda; e 7% aumento. Quanto a novos casos confirmados, 25% não registraram; 30% tiveram estabilidade; 24% queda; e 17% aumento.

A variante Delta foi detectada em 13% dos Municípios. Medidas restritivas de circulação ou atividades econômicas ainda ocorrem em 43% dos Municípios. E 10% afirmaram que já editaram decreto no sentido de obrigar a vacinação para que se possa frequentar espaços coletivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.