Pesquisa do Procon mostra que variação de preços em produtos escolares chega a 384%

De acordo com o órgão, produtos de marcas menos conhecidas também podem satisfazer as necessidades do consumidor sem comprometer a qualidade do produto

Dentre as principais despesas de todo início de ano, a lista de material escolar é uma das que mais pesam no bolso do consumidor. Por isso, a regra básica para economizar é pesquisar, pois segundo o Procon Goiás, produtos idênticos podem variar até 384% e produtos “de marca” podem representar um aumento de até 214% no preço.

O órgão visitou desde o dia 22 de dezembro até esta segunda-feira (5/1), 13 papelarias de Goiânia verificando os preços de 84 itens como cadernos, lápis de cor, borracha, apontador e mochilas. Considerando os itens que figuraram nas pesquisas de 2014 e 2015, a alta média acumulada nos últimos 12 meses foi de 5,77%.

Ainda de acordo com a pesquisa do Procon, produtos menos conhecidos também podem satisfazer as necessidades do consumidor sem comprometer a qualidade do produto.

Por exemplo, enquanto uma caixa de lápis de cor grande de uma marca bastante conhecida tem o preço médio de R$ 34,32, o mesmo produto de uma marca menos conhecida tem o valor médio de R$ 10,90. Neste caso, a opção por marca pode significar um aumento de quase 215%.

“A nossa intenção é mostrar que depende dos pais pesquisarem e avaliarem a qualidade de todos os itens da lista escolar. Pois há produtos mais em conta que tem a mesma qualidade de marcas famosas”, disse ao Jornal Opção Online o gerente de pesquisa e cálculo do Procon-GO, Gleidson Tomaz Fernandes.

Além disso, o órgão pede que os pais tenham atenção aos itens da lista de material escolar. Segundo o Procon, quando uma escola inclui itens de uso coletivo na lista está abusando e “onerando excessivamente o consumidor”.  E de acordo com o gerente de pesquisa e cálculo, tais produtos devem ser ignorados na hora da compra

Vale ressaltar que as unidades escolares não podem exigir marca, modelo, ou determinar o local a ser efetuado a compra do material escolar, pois o consumidor deve ter total liberdade para pesquisar e adquirir os produtos que estejam adequado ao seu bolso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.