Apenas os cinco primeiros meses deste ano já superaram o balanço dos anos anteriores em mortes

Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostrou que nos últimos 10 anos  as mortes causadas por excesso de chuvas e suas consequências no Brasil somaram 1.756. Apenas em 2022, os óbitos por essa causa já são 457, o que representa mais de 25% do total de mortes no período.

O estudo considerou de 1º de janeiro de 2013 a 31 de maio de 2022. Os dados foram coletados no Sistema Integrado de Informações Sobre Desastres do Ministério do Desenvolvimento Regional (S2ID/MDR).

Apenas os cinco primeiros meses de 2022 já superaram o balanço dos anos anteriores em mortes. Antes de 2022, o ano mais letal por chuvas no país era 2019, com 297 mortes registradas. Seguido por 2021 quando foram notificados 290 óbitos e 2020, com 216. Os dados foram coletados no Sistema Integrado de Informações Sobre Desastres do Ministério do Desenvolvimento Regional (S2ID/MDR).

De acordo com o presidente da CNM, a falta de recursos para prevenção no orçamento de desastres do país é um dos principais motivos para a recorrência dos problemas. “Com a redução cada vez maior de verba para prevenção, ano após ano, em todo governo, o resultado é que, na prática, só se atua na resposta, com grande peso para as prefeituras”, pontuou.