O cenário da estimulada mostra Marconi liderando com 37%, à frente de Iris, com 26,1%. Vanderlan tem 9,5%; e Gomide, 6,1%. Os demais candidatos somam 2,5% das intenções de voto

marconi perillo pesquisa agosto 2

O governador Marconi Perillo (PSDB) permanece na frente na disputa eleitoral também nas pesquisas realizadas pelo Grupom, que assinalam grandes chances de vitória já no primeiro turno. Mas o que chama a atenção nos dados é a quantidade de pessoas que ainda estão indecisas. Na consulta espontânea, 59,3% não avaliaram ou não souberam responder em quem votariam.

Sem que os nomes dos candidatos fossem apresentados, Marconi lidera com 21,3% das intenções de voto, ante 10,5% do segundo colocado, Iris Rezende (PMDB). Vanderlan Cardoso (PSB) vem em seguida, com 5,3%, seguido por Antônio Gomide (PT), com 3,2%; Weslei Garcia (Psol), 0,2%; Alexandre Magalhães (PSDC) e Marta Jane (PCB), menos de 0,1% cada.

O cenário da estimulada é bastante similar para os principais candidatos, com Marconi liderando com 37%, à frente de Iris, com 26,1%. Vanderlan tem 9,5%; e Gomide, 6,1%. Já entre os nanicos se percebe mudança no cenário, apesar de continuar havendo empate técnico entre eles: Marta Jane aparece com 1,2%; Weslei Garcia, 1%; e Alexandre Magalhães, 0,3%. 10,3% estão indecisos, enquanto 8,5% afirmaram que votariam branco ou nulo.

[relacionadas artigos=”11921″]

No caso de um eventual segundo turno, Marconi venceria em todos os cenários. Contra seu principal adversário, Iris Rezende, ele teria 40,9%, ante 32,9% do peemedebista. 13,6% se declararam indecisos e 12,6% afirmaram que votariam branco ou nulo.

Contra o terceiro colocado, Vanderlan Cardoso, Marconi teria 42,9% frente a 27,3% do adversário. Já em uma disputa com Gomide, o tucano teria 50,2%, contra 20,7% do petista.

Apesar de todos esses cenários darem motivos de otimismo para o governador, pelo menos um índice deve preocupar sua equipe: o de rejeição, o qual o tucano também lidera. Pelo menos um terço das pessoas consultadas afirmou que jamais votariam em Marconi (33,7%). Para Iris Rezende esse índice é de 29,7%. Marta Jane, 19,1%; Gomide, 18,9%; Vanderlan, 18,1%; Alexandre Magalhães, 17%; e Weslei Garcia – que tem a menor taxa de rejeição – 16,9%. 35,2% afirmaram não ter problemas em votar em nenhum dos candidatos citados.

Para o Senado, Ronaldo Caiado (DEM) mantém a liderança tanto na espontânea quanto na estimulada. No primeiro caso, também chama a atenção o número de pessoas que dizem não saber em quem votar: 90,4%. Nesse cenário, Caiado tem 5,5%; Vilma Rocha (PSD), 2%; Marina Sant’Anna (PT), 1,6%; Antônio Vieira Neto (PCB), 0,2%. Aguimar Jesuíno (PSB-Rede), Aldo Muro (PSDC) e Elber Sampaio (Psol) têm menos de 0,1%.

No cenário estimulado, a principal mudança é a subida de degrau de Marina Sant’Anna para a segunda colocação. Caiado, na frente, tem 31,8%. Marina aparece com 11,9%; Vilmar Rocha – agora em terceiro –, tem 9,2%; Antônio Vieira, 2,9%; Aguimar Jesuíno, 1,1%; Aldo Muro, 0,5%; e Elber Sampaio, menos de 0,1%. 28,9% estão indecisos e 13,7% afirmaram votar branco ou nulo.

Caiado está na frente também entre os candidatos com maiores índices de rejeição. O democrata tem 29,6%; Marina Sant’Anna, 28%; Vilmar Rocha, 27,5%; Elber Sampaio, 26,4%; Aguimar Jesuíno, 25,9%; e Aldo Muro e Antônio Vieira, 25,8% cada. 49,8% afirmaram que poderiam votar em qualquer um dos candidatos.

Para a presidência da República, Dilma Rousseff (PT) está na frente em todos os cenários, exceto em um eventual segundo turno com o tucano Aécio Neves. Na estimulada, ela desponta em Goiás com 31,2% das intenções de voto, contra 25% do peessedebista. Eduardo Campos (PSB) tem 8,8%; Pastor Everaldo (PSC), 3,9%; Eduardo Jorge (PV), 1,3%; Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU), 0,9%; Luciana Genro (Psol), 0,8%; Mauro Iasi, 0,3%; e Levy Fidelix, 0,2%. Disseram estar indecisos 16,6%, enquanto 10,1% afirmaram que votarão branco ou nulo.

Na espontânea, Dilma está na frente com 18,7%. Aécio tem 11,9%; Eduardo Campos, 4,1%; Pastor Everaldo, 1%; e Eduardo Jorge, 0,3%. Indecisos são 64,1%.

No segundo turno contra Aécio, Dilma perderia em Goiás por 40% a 34%. 11,9% estão indecisos; e 14,1% votariam branco ou nulo. Contra Campos, a petista venceria por uma leve diferença: 35,5% contra 33,3%; Indecisos são 14%; brancos e nulo somam 15,1%.

Dilma aparece na frente também entre os mais rejeitados. 46,9% dos consultados disseram que jamais votariam nela. Para Aécio, o índice é de 24,8%; Pastor Everaldo, 20,8%; Zé Maria, 20,1%; Eymael, 19%; Eduardo Campos, 18,5%; e Levy, 18,2%. 31,7% disseram que poderiam votar em todos eles.

Foram consultados 1.011 eleitores entre 4 e 7 de agosto. A margem de erro é de 3,1 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi divulgada pelo Jornal Diário da Manhã.