Pesquisa coloca Moro em 3º lugar, atrás de Lula e Bolsonaro

Sétima rodada do levantamento consolidou o ex-juiz como terceira via com maior repercussão; Lula permanece em posição vitoriosa

Publicada nesta quarta-feira, 8, a pesquisa que acompanha a opinião pública dos brasileiros acerca do cenário eleitoral de 2022, realizada pela plataforma de investimentos Genial, com a empresa de inteligência de dados Quaest, coloca o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) em terceiro lugar na corrida presidencial do próximo pleito. Ainda que bem atrás de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 46% – e Jair Bolsonaro (PL) – 24% -, Moro (11%) foi o único da chamada terceira via a chegar mais perto de seus adversários.

Na sétima rodada da pesquisa Genial/Quaest, Moro aparece a frente do ex-governador do Ceará, o pedetista Ciro Gomes (5%), do tucano e governador de São Paulo, João Doria (2%) e do pessedista e presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (1%). Para a realização do estudo, foram realizadas 2.037 entrevistas presenciais entre 2 e 5 de dezembro, em todos os estados do Brasil.

Os diferentes recortes da pesquisa mostram que Moro toma espaço de Ciro Gomes e de Jair Bolsonaro. Isso, porque quando o ex-ministro da Justiça é retirado do cenário, quem mais ganha é Bolsonaro. “Moro está vagarosamente ocupando um espaço de quem é nem Lula, nem Bolsonaro. No entanto, ele precisa modular o discurso. A rejeição é muita alta, só abaixo da de Bolsonaro: 61% das pessoas que conhecem o ex-juiz dizem que não votariam nele”, diz Felipe Nunes, diretor da Quaest.

Segundo a pesquisa, caso as eleições presidenciais fossem realizadas hoje, Jair Bolsonaro perderia tanto para Lula, quanto para Moro ou Ciro. Contra Moro, o placar seria de 34% a 31% para Moro. Já contra Lula, a derrota seria menos acirrada, de modo que o peelista perderia de 55% a 31% contra o petista. Na pesquisa Genial/Quaest anterior, Lula cenceria em todos os cenários, com a possibilidade de ser emplacado já no primeiro turno.

A justificativa desses resultados também aparece na pesquisa, que é a grande quantidade de avaliações negativas sobre a gestão federal. Ainda que a porcentagem tenha caído, 50% dos entrevistados avaliaram de forma negativa o governo em dezembro. Em novembro, esse percentual era de 56%. A avaliação, inclusive, caiu em todas as regiões brasileiras, exceto no Nordeste. Ao todo, serão realizadas 24 rodadas da pesquisa. O nível de confiança da Genial/Quaest é de 95%, com margem de erro de 2%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.