Pesquisa aponta que crise fez consumo de nove a cada dez brasileiros cair em 2015

Instituto Data Popular entrevistou 3,5 mil consumidores maiores de 16 anos em 153 municípios de todos os estados entre 4 e 12 de janeiro

shopping

Para 55% dos consumidores ouvidos pela pesquisa, essa é a pior crise que eles já enfrentaram

Nove entre cada dez brasileiros reduziu o consumo em 2015 em decorrência da crise econômica. Os dados são do Instituto Data Popular, que realizou pesquisa de 4 a 12 de janeiro com 3,5 mil consumidores maiores de 16 anos em 153 municípios de todos os estados do Brasil. A pesquisa foi divulgada nesta semana.

O instituto aponta que 99% dos entrevistados acreditam que o Brasil está em crise, 81% disseram ter certeza de que o país enfrenta um período de recessão.

Para 55% dos consumidores ouvidos, essa é a pior crise que eles já enfrentaram.

O presidente do Instituto Data Popular, Renato Meirelles, afirmou que existem dois fatores que explicam os números. Um é o de que atualmente há um número grande de consumidores que não estavam no mercado quando o Brasil viveu a época da hiperinflação.

“Não eram adultos na época da hiperinflação. É, de fato, um conjunto de consumidores jovens que tendem a achar que esta é a maior crise”, afirmou Meirelles. Para o presidente do Instituto Brasil Popular, essa não é a crise mais profunda vivida no País.

“A gente já teve crises com taxas de desemprego maiores, com o país com menos reserva internacional do que tem hoje, com mais inflação”, destacou.

Nas crises de 2002 e 2008, de acordo com Meirelles, os consumidores tinham a sensação de que era difícil adquirir um bem, serviço ou alcançar um nível de vida melhor.

De acordo com o presidente, a sensação hoje é de “voltar para trás”, o que aumenta a percepção de que esta é a maior crise. Como a situação atual veio depois de um processo de crescimento forte, da democratização do consumo, de os brasileiros passarem a ter acesso a produtos e serviços que antes não consumiam, a sensação de perda se torna mais forte, disse Meirelles.

Ele observou que boa parte das pessoas que não conseguiram realizar seus projetos em 2015 tem a intenção de conseguir isso neste ano. Dos 63% que queriam comprar um imóvel no ano passado, mas não cumpriram a meta, 35% dizem acreditar esse sonho será realizado em 2016.

Sobe para 69% o universo consumidores tinham entre os planos a compra de um eletrodoméstico em 2015 e não conseguiram, em que 54% acreditam que vão cumprir esse planejamento esse ano.

“A pesquisa mostrou que o consumidor está se programando para realizar seus planos, seja buscando uma renda extra, fazendo escolha do que é prioritário ou não no seu gasto, seja buscando financiamento, para voltar a comprar aquilo que ele tinha pensado em ter no ano passado e não comprou.”

Alavanca

Meirelles afirmou que a crise é uma espécie de alavanca para que as pessoas retomem seus planos de consumo. “É um consumidor que entra nesta crise mais preparado do que em crises anteriores”, observou o presidente do instituto.

Outro aspecto evidenciado por esse cenário é que a estratégia das empresas que querem conquistar esse consumidor tem que mudar, segundo Meirelles. “Em um cenário de crise, as empresas têm que ganhar dos seus concorrentes.”

Para ele, as empresas que conseguirem fidelizar seus clientes e puderem mostrar algo para estabelecer uma parceria entre fornecedor e consumidor sairão na frente com chances de crescer mais. “Esse é o momento de as empresas consolidarem seus clientes fiéis e avançarem sobre a concorrência, que é a consequência disso no mercado”, pontuou. (Com Agência Brasil)

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.