Pesquisa aponta que após ensino superior renda dos egressos aumenta em 182%

Estudo também mostrou que há grande diferença entre renda mensal dos homens e das mulheres nessa categoria: 17,4% dos homens recebem mais de R$ 10 mil, enquanto apenas 6,1% das mulheres têm rendimento nessa faixa

O Sindicato de Mantenedoras dos Estabelecimentos de Ensino Superior (Semesp) realizou uma pesquisa na qual é mostrado que, após a conclusão do ensino superior, os alunos egressos têm um aumento de renda mensal da ordem de 182%. O estudo considera aqueles que já trabalhavam durante a graduação.

O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira, 3, pelo Instituto Semesp e pela Symplicity.

A pesquisa contou com a participação gratuita e facultativa de 9.228 egressos e alunos da educação superior. As informações foram coetadas entre os dias 13 de outubro a 16 novembro de 2020, por meio virtual. 

Resultados

O estudo apontou que apenas 2,5% dos entrevistados recebiam mensalmente um valor acima de R$ 5 mil antes de concluir o ensino superior. Já após o término, esse percentual salta para 31,5%.

Dos avaliados, 38,9% recebia até mil reais antes de se formar. Já 27,1% dos egressos de curso superior disseram que passaram a receber de cinco mil a dez mil reais após a conclusão do curso.

Na atividade principal, 58% dos egressos afirmaram trabalhar com carteira assinada, vínculo mais citado pelos participantes. Em segundo lugar (16,2%), aparecem os funcionários públicos. Os demais 25,8% citaram trabalhar com vínculos empregatícios como autônomos, com contrato temporário, sem carteira assinada, freelancer, serem empresários, ou outros.

A pesquisa mostra também que há uma diferença significativa entre a renda mensal dos homens e das mulheres egressos do ensino superior: 17,4% dos homens, nessa condição, recebem mais de R$ 10 mil, enquanto apenas 6,1% das mulheres apresentam rendimento nessa faixa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.