“Perda de competitividade é um problema do Brasil, não da redução de incentivos”, diz secretária da Economia

Ela também explicou que teve cautela em disponibilizar a minuta do Progoiás para evitar insegurança jurídica e que todos os pontos foram discutidos com empresários em oito reuniões

Secretária da Economia, Cristiane Schmidt | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Em oitiva na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos incentivos fiscais, a secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt, rebateu afirmativa de empresários de que o Estado de Goiás perde competitividade com a redução de incentivos fiscais. Ela também esclareceu sobre a disponibilização da minuta do novo programa de incentivos, o Progoiás.

“De fato temos um problema de competitividade, mas isso é no Brasil. O país está em crise, não é só Goiás, estamos com 13 milhões de desempregados, temos uma carga tributária complexa e alta. Esse cenário é geral, não é culpa da redução de incentivos, é um peso que colocam em cima de uma medida e que não é justo”, disse.

Progoiás

O presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial) teria questionado na imprensa a demora na entrega da minuta do Progoiás, ao que a secretária explicou: “Esse é um documento interno do Governo, eu não posso mostrar para deus e o mundo sem aval da Procuradoria-Geral do Estado (PGE). Então eu disponibilizei hoje quando recebi esse aval”.

Ela também destaca que houve diálogo com o setor empresarial na construção do projeto. “Foram feitas oito reuniões para discutirmos ponto a ponto para não ter insegurança jurídica. Quero propor um programa que seja redondo para o Governo e para o setor privado, eu quero tirar as pedras do setor privado, facilitando a vida do empresário. E, para isso, nós sentamos e conversamos”, disse.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.