Penas de serial killer somam 290 anos com nova condenação

Tiago Henrique foi sentenciado a mais 25 anos por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima

| Foto: Hernany César/ TJGO

Na sessão, Tiago se disse arrependido e foi alvo de protesto dos familiares da vítima | Foto: Hernany César/ TJGO

Em mais um julgamento nesta sexta-feira (12/8), o serial killer Tiago Henrique foi condenado pelo assassinato de Lilian Sissi a mais 25 anos de prisão. Ela foi morta em fevereiro de 2014 na Cidade Jardim, em Goiânia, quando ia buscar seus filhos na escola. Tiago a abordou na rua, atirou nela e fugiu em seguida.

Ao contrário do que costuma fazer em sessões, Tiago respondeu aos questionamentos do juiz, admitiu seu o assassino e disse que estava arrependido. Conforme publicado mais cedo pelo Jornal Opção, Tiago chegou a dizer que agora só quer amar a Deus e ao próximo, o que causou revolta na família da vítima, que acompanhava o julgamento.

Ele foi condenado por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Na sua sentença, Eduardo ressaltou que Tiago é altamente frio, tende a manipular as pessoas e tem uma personalidade “antissocial”. O juiz também considerou que seus crimes provocaram uma sensação de muita insegurança na sociedade goiana.

Na sessão, a família da vítima, vestida com uma camiseta estampada com a foto dela, fez manifestações durante o intervalo. O juiz teve que intervir e disse que, apesar de entender a revolta deles, teria que pedir que eles se contivessem.

Esta é a 12ª condenação do vigilante, cujas penas já somam 290 anos e 10 meses de prisão. Além dos 12 crimes de assassinato pelos quais ele foi condenado, ainda há sentenças de assalto a agência lotérica e porte ilegal de arma de fogo. Tiago ainda será julgado por outras 22 mortes na capital.

Deixe um comentário