Pelo Twitter, vereador Tayrone di Martino diz que pedirá expulsão de Paulo Garcia do PT

Rixa entre os petistas teve início por discordância quanto ao projeto de alteração das alíquotas de ITU e IPTU. Para secretário de governo, negativa de vereador quanto à proposta foi motivada por “interesse político”

Após ir contra o projeto que reformula as alíquotas de IPTU e ITU da capital, o vereador Tayrone di Martino anunciou na tarde desta quarta-feira (24/9), por meio do Twitter, que irá pedir a expulsão do prefeito Paulo Garcia do Partido dos Trabalhadores (PT). A declaração foi concedida em resposta a usuários da rede social que debatiam o posicionamento do vereador contra o próprio partido.

Também pelo Twitter, o vereador afirmou que Paulo Garcia não possui perfil de administrador e que sua decisão em não votar a favor da proposta do Paço se deu por “gratidão” à população goianiense.

Na manhã desta quarta, em entrevista à imprensa na Câmara de Goiânia, Tayrone, que foi suspenso do PT por ter votado contra o projeto que altera as alíquotas do IPTU, não poupou críticas à administração municipal. Em suas palavras, a gestão do atual prefeito é “ruim, muito ruim”. Para ele, o município precisa cortar da “própria carne” para manter o equilíbrio financeiro.

Listando falhas como as constatadas na coleta de lixo, iluminação pública e no atendimento em postos de saúde, Tayrone comentou sobre a situação problemática pela qual passa a gestão de Goiânia. “Existem problemas e a solução não vem do jeito que está sendo feito. Então, se você me perguntar, hoje, se a administração da cidade é ruim, [digo que] é muito ruim”, frisou.

Vale lembrar que Tayrone representa a tendência petista do prefeito de Goiânia e, até então, sempre se colocou como seu aliado, chegando a ocupar a função de assessor de imprensa de Paulo Garcia.

Jogada política?

Em entrevista ao Jornal Opção Online, o secretário do governo municipal, Osmar Magalhães, defendeu que o embate de posições não pode ser encarado como uma questão “administrativa”, mas sim atrelada à “fidelidade partidária”. Para o titular, a mudança de postura do vereador está relacionada a interesses políticos, os quais ele ainda desconhece.

“A atitude do vereador nos faz questionar: a quem interessa de fato, neste momento político, tal comportamento? Os projetos da prefeitura em análise na Câmara foram debatidos por vereadores, setor produtivo e população em audiência pública”, defende Osmar em nota divulgada à imprensa.

Além de vereador, Tayrone concorre ao cargo de vice-governador ao lado do governadoriável Antônio Gomide, cuja tendência dentro do PT estadual não é a mesma que a do prefeito de Goiânia. Este que, por sua vez, não esconde a gratidão ao nome de Iris Rezende, candidato ao governo de Goiás pelo PMDB. Confrontado sobre o impasse, Osmar rejeita as especulações de que as diferenças ideológicas dentro da legenda possam ter causado a contenda. “Isso não interfere em nada. O prefeito Paulo Garcia sempre apoiou a candidatura de Antônio Gomide. Dentro das limitações dele, ele tem participado sim”, defendeu.

A reportagem tentou entrar em contato com o vereador Tayrone di Martino, mas, até a publicação desta matéria, não obteve retorno.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.