Pela terceira vez, manifestantes pedem reabertura do comércio em frente ao Paço Municipal

Manifestação conta com o apoio de mais de dez entidades ligadas ao comércio na capital. Comerciantes e colaboradores pedem retomada das atividades de maneira organizada e segura

Diversas entidades promovem, neste momento, uma manifestação pela reabertura do comércio de rua em Goiânia. Os manifestantes estão concentrados em frente ao Paço Municipal, sede do Poder Executivo goianiense.

“Nos últimos meses o número de demissões tem sido muito grande, estimamos cerca de 50 demissões por dia. Estamos fazendo muitas homologações. A forma de barrar esse desemprego e também a falência de muito bares e restaurantes seria voltar às atividades”, disse o presidente do Sechseg, Marlos Luz, em representação aos trabalhados dos bares e restaurantes da capital.

Os manifestantes frisam, ainda, que tudo será feito de maneira consciente em observância as normas de higienização e segurança estabelecidas pelas autoridades sanitárias. “Esperamos que o município coopere neste sentido. Uma série de protocolos serão seguidos, várias cidades no Brasil já reabriram e estão trabalhando normalmente sem nenhum surto da doença ou descontrole dos dados coletados pelas autoridades”, reiterou o presidente.

Conforme mostrado pela reportagem anteriormente, o presidente da (AER44) considerou que a situação está ficando insustentável. “Do jeito que está não dá mais para ficar. Os empreendedores da região se comprometeram, elaboraram um amplo protocolo para a retoma segura e responsável das atividades está até abrindo mão da maior parte de seus clientes, mas ainda sim a prefeitura, em especial a atual secretária de saúde, se nega a perceber que enquanto não se autorizar a volta do comércio na 44 de forma ordenada, o que se terá é a invasão de camelôs, a falta de controle de caravanas, trazendo aglomerações e muito mais disseminação do vírus”

A manifestação de hoje conta com o apoio de outras 11 entidades, entre elas o Sindicato das Academias de Goiás (Sindac-GO), Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares no Estado de Goiás (Sechseg), Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de Goiás -sindetur/go e da A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

O que diz a prefeitura

Vale lembrar que nesta terça-feira, 16, o prefeito Iris Rezende (MDB) falou da possibilidade de reabertura do comércio na capital durante entrevista concedida na Praça Cívica.

“Queremos já nesta semana assinar o decreto que determina a reabertura de segmentos até que a situação ofereça oportunidade para que todas as instituições comerciais e administrativas possam estar abertas”, afirmou o prefeito.

Pouco antes, em transmissão nas redes sociais, o secretário municipal de Governo, Paulo Ortegal também sinalizou para a reabertura. “Nós vamos, até o final da semana, estar liberando esse decreto com algumas flexibilizações de alguns segmentos”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.