Pela primeira vez em nove anos, Enem não precisará de reaplicação

De acordo com MEC, prova teve melhor aplicação desde 2009

Segundo informações do Ministério da Educação, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2018 teve a melhor aplicação desde 2009, quando assumiu o formato atual. Em nove anos, é a primeira vez que a prova não precisará de reaplicação.

A prova, que teve aplicação nos dias 4 e 11 de novembro respectivamente, contou com mais de 70% de presença nas duas etapas do exame. O número de abstenções, no entanto, considera as ausências nos dois dias de prova e, por isso, só será divulgado após a conferência das atas de todos os locais de prova, dos dois dias do exame.

Para o ministro da Educação, Rossieli Soares, a prova teve a missão de levar a todos os participantes um exame dinâmico e plural cumprida. “O processo foi totalmente tranquilo, levando-se em conta a proporção de participantes do exame com as ocorrências registradas. Todos que trabalharam e que realizaram as provas estão de parabéns”, destacou.

O primeiro domingo registrou o menor percentual de ausentes desde 2009: 24,9%. O segundo dia teve 66 eliminações, sendo 64 por descumprimento de regras do edital, uma por problemas identificados na revista por detector de metal e uma por recusa de coleta do dado biométrico. O Inep também registrou 88 emergências médicas.

Ocorrências

Os participantes afetados por problemas logísticos poderão registrar uma ocorrência, no sentido de pleitear a reaplicação do exame, por meio de um sistema estreado neste ano. As análises serão feitas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e os candidatos interessados terão até 19 deste mês para fazer a solicitação. A ferramenta virtual estará disponível a partir da meia-noite desta segunda-feira (12/11). O Inep divulgará os resultados dos pedidos por e-mail ou mensagem de celular (SMS).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.