Peemedebista protocola documento pedindo pela expulsão de Frederico Jayme do PMDB

O ex-deputado estadual, por sua vez, sustenta que essa é uma tentativa de intimidar outros candidatos da sigla que apoiam Marconi

Ex-deputado estadual e um dos coordenadores da campanha de Marconi Perillo, Frederico Jayme

Ex-deputado estadual e um dos coordenadores da campanha de Marconi Perillo, Frederico Jayme

As articulações de alguns políticos, indo de encontro com o acertado dentro dos partidos, pode gerar a expulsão de um peemedebista histórico. Frederico Jayme, no PMDB desde quando a sigla ainda era MDB, se nega a apoiar Iris Rezende (assim como foi em 2010), e além de apoiar seu grande adversário Marconi Perillo (PSDB), faz parte da coordenação de campanha do tucano. Por estas questão, o peemedebista Marcelo Lins protocolou um documento pedindo pela expulsão do ex-deputado estadual Frederico Jayme.

O peemedebista possui aliança com Marconi que vai além do meio político. Frederico Jayme é primo de Valéria Perillo, esposa do governador do Estado de Goiás, e foi padrinho de casamento do casal. Frederico sustenta que apoia Marconi desde 2010 porque não confia em Iris, que nunca lhe esclareceu como chegou ao patrimônio que possui atualmente. “Eu sempre pedi explicações, sem acusar nem nada. Quero saber como ele tem o que tem sendo um advogado. Como enriqueceu assim?”, disse Frederico, falando de um avião que, segundo ele, custou R$ 6 milhões, mas Iris declara R$ 1,5 milhão.

Foi Dorival Mocó, presidente do PMDB em Itapaci e integrante da Comissão de Ética do partido, que garantiu que o documento de expulsão foi redigido por Marcelo Lins, vice-presidente do PMDB em Águas Lindas, protocolada na última semana. Além de Marcelo, no entanto, o presidente da Juventude do PMDB em Goiás, Pablo Rezende, sustenta que ele mesmo irá protocolar outra carta pedindo pela expulsão de Frederico Jayme e Robledo Rezende, que foi coordenador da pré-campanha de Friboi e é articulador número um do empresário no interior e na capital. Robledo declarou nesta quinta-feira (17/7) apoio ao governador Marconi Perillo, e disse ainda que Júnior Friboi [ex-pré-candidato ao governo pelo PMDB, tendo retirado sua candidatura em maio] o autorizou a declarar apoio ao projeto político do tucano e a aglutinar novos apoiadores da oposição à coligação.

“Ele sujou a história dele dentro do PMDB ao apoiar o Marconi”, disse Pablo Rezende, que adiantou um argumento do próprio Frederico Jayme: “Sei que vai falar que não tenho experiência, e que ele está há muito mais tempo no partido.” De fato, algo dito por Frederico em entrevista ao Jornal Opção Online. “Sou fundador do MDB, o que esse pessoal fez pelo partido? O Marcelo era assessor da Dona Iris e o Pablo, sobrinho do Iris. Então não têm credibilidade alguma”, afirmou.

O apoiador de Marconi vê o pedido de expulsão como uma tentativa de intimidar – não ele, mas os outros integrantes do PMDB que declararam apoio ao governador. Segundo Frederico Jayme, se forem expulsá-lo do PMDB, deverão expulsar metade de integrantes do partido, que, segundo ele, estão apoiando Marconi. “Mais de 50% do partido apoia o governador, inclusive o Friboi e o Robledo”, e completou: “Estou disposto a debater essas questões publicamente, ver quem deve ser expulso mesmo; quem é ficha suja”, afirmou.

O ex-deputado estadual ainda sustentou que está gostando da ideia de ter que responder ao pedido de expulsão. “Quando eu for fazer minha defesa desse pedido dos soldados iristas vou detalhar para o PMDB e para a mídia o porquê de eu não apoiar o Iris. E eu não sou candidato, mas o Iris é”, disse, deixando subentendido que o processo poderá prejudicar o candidato ao governo.

Frederico reitera que este é um processo de intimidação. “E eu não tenho medo de rastro de onça”, afirmou. O peemedebista disse novamente que apoiará Iris quando o político explicar a origem de seu patrimônio. “Se ele fizer isso, vou ser o primeiro a dizer que ele é correto”, disse.

 “Eu apoiava Friboi”

O peemedebista explicou ao Jornal Opção Online que neste ano, antes de apoiar Marconi, havia declarado apoio ao Júnior Friboi, até então pré-candidato pela sigla. “Eu vivia no escritório dele”, atestou. Questionado, então, se apoiava Marconi por falta de outro candidato, garantiu: “Apoiava Friboi por questões partidárias. Ele nunca teve nada que me fizesse pensar em não apoiá-lo; já o Iris, sim.”

Sobre o seu envolvimento pessoal com Marconi Perillo, Frederico garantiu que a amizade pessoal que possui com o governador nunca interferiu em questões políticas. “Tanto que nas últimas eleições para prefeito eu percorri várias cidades apoiando candidatos do PMDB.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.