Pedido de prisão de Aécio Neves será julgado nesta terça-feira pelo Supremo

Senador afastado é um dos investigados da Operação Patmos, tendo sido denunciado por corrupção e obstrução da Justiça

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga, nesta terça-feira (20/6), o recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) para que o senador afastado Aécio Neves (PSDB) seja preso preventiva. Na primeira decisão sobre o pedido, o relator do caso no STF, Edson Fachin, rejeitou a solicitação.

Fachin determinou apenas que ele fosse afastado do mandato mas, na semana passada, a PGR reforçou o pedido alegando que Aécio não estava cumprimento de fato a determinação. Para justificar a demanda, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, citou foto postada por Aécio no Facebook com os senadores tucanos Tasso Jereissati (CE), Antonio Anastasia (MG), Cássio Cunha Lima (PB) e José Serra (SP) que tinha como legenda: “Na pauta, votações no Congresso e a agenda política”.

Em resposta, a defesa de Aécio disse que ele está cumprindo a decisão e está afastado das atividades parlamentares. Ainda segundo seus advogados, ele não está impedido de receber visitas e discutir, como cidadão, assuntos diversos.

Aécio é um dos investigados da Operação Patmos, tendo sido denunciado por corrupção e obstrução da Justiça. O tucano foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono e um dos delatores da JBS.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.