Se houver documentação que comprove, impeachment de Iris será aceito, diz vereador

“Se for o caso, entendo que o presidente Romário Policarpo teria que aceitar”, afirma Cabo Senna

Vereador Cabo Senna | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

O deputado estadual Alysson Lima (PRB) falou, na terça-feira, 2, que protocolaria um pedido de impeachment para o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), por “abandono” da saúde e obras paradas na Educação Infantil. Para o vereador Cabo Senna (Patriota), o presidente da Casa, Romário Policarpo (Pros), só deve aceitar a demanda se houver documentação comprovatória.

Apesar disso, o parlamentar municipal afirma que, tanto a saúde quanto a educação da cidade, precisam melhorar muito. “Nesses dois primeiros anos, os números mostravam que Iris pegou uma prefeitura quebrada. A expectativa é que faça mais nos próximos dois”, defende.

Fundamentação

Cabo Senna discorre, ainda, que a fundamentação jurídica é fundamental para o aceite de um pedido de impedimento. “Se houver [a documentação comprovatória], entendo que o presidente teria que aceitar”, pontua Senna e se esquiva: “Eu, particularmente, não posso falar a respeito sem ver documentos”.

Diferente dele, a vereador Dra. Cristina (PSDB) vê indícios de base jurídica sólida. “Nós vemos uma série de descompromissos do prefeito com o que é de obrigação do Município. A saúde foi desconstruída em Goiânia, as nossas unidades básicas estão falidas, não estão conseguindo prestar um atendimento que elas têm, o prefeito está deixando de cumprir uma obrigação constitucional que compete a ele”, disse.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.