PCdoB aposta em lideranças históricas para fortalecer federação com PT e PV

Um dos nomes pode ser o do ex-vereador e líder do PCdoB, Euler Ivo, que adiantou a intenção de concorrer ao Senado Federal

Em meio à federação com o PT e o PV, o PCdoB quer ir às urnas com nomes fortes para o pleito, tanto para a chapa majoritária, como adiantado pelo Jornal Opção, quanto para concorrer às 17 cadeiras para a Câmara Federal e para as 41 cadeiras para a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), nas eleições deste ano. O partido busca fortalecer a sigla com lideranças novas e antigas. Entre os políticos que podem aparecer nas urnas pelo partido estão o deputado federal constituinte Aldo Arantes, o ex-vereador Euler Ivo (PCdoB), o ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) Iago Montalvão, o ex-deputado estadual Fábio Tokarski (PCdoB) e a ex-deputada estadual Isaura Lemos (PCdoB), que precisa resolver pendências na Justiça Eleitoral para voltar às urnas.  

É o caso de Euler Ivo, com quem Isaura é casada, que pode voltar às urnas após ficar anos inelegível. “Eu recuperei os direitos políticos, mas escolhi não ir às urnas anteriormente para apoiar as candidaturas da Isaura e da Tatiana [Lemos, sua filha], porém, agora que elas não devem concorrer, vou disponibilizar o meu nome”, diz. Tatiana Lemos, secretária Municipal de Políticas para as Mulheres, é o único caso concreto de uma comunista que não deve ir às urnas. A ex-vereadora não se desincompatibilizou da pasta no último dia 2, e não deve concorrer às eleições, como já havia antecipado o Opção.

Além de viabilizar o próprio nome, o político trabalha para que Aldo Arantes venha às urnas. Aldo Arantes, no entanto, descarta a intenção. “Estamos procurando conversar com o Aldo Arantes, que concorreu às eleições de 2006, e tem um nome ligado aos advogados que lutam pela democracia. É um nome muito forte para deputado federal, porém, isso vai depender dele”, diz Euler Ivo.  

Nominata

Diante do teto de 18 postulantes à Câmara Federal na nominata da chapa e dos 42 para a Alego, o político que está participando das conversas com o PT e com o ex-governador José Eliton (PSB). Ele afirma que a intenção é contribuir para a formação das nominatas. Euler cita o ex-deputado Fábio Tokarski, a professora Denise Carvalho, Adalberto Monteiro, o professor Nivaldo, o rapper Ivo Mamona a diretora de Relaçoes Institucionais da UNE, Thaís Falone e os outros nomes que podem fortalecer a chapa.  “Vamos indicar postulantes para os 42 nomes. A gente vai dividir entre o PT, o PCdoB e o PV, porque não podemos lançar uma grande quantidade de nomes, mas já estamos buscando lideranças que são conhecidas e podem voltar às urnas”, afirma.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.