PC apreende 21 carros de luxo e R$ 7,2 mi ligados ao Comando Vermelho em Goiás

Entre os presos, cinco já estavam em presídios goianos cumprindo pena por tráfico de drogas e os outros quatro são empresários. Nomes não foram revelados

Uma das mansões onde foram feitas as buscas de apreensão | Foto: reprodução/Policia Civil

Investigadores da Delegacia Estadual de Repressão a Ações Criminosas Organizadas (Draco) deflagraram, nesta quarta-feira, 19, a Operação Red Bank (Banco Vermelho), cujo objetivo foi a desarticulação de um braço financeiro da facção criminosa Comando Vermelho em Goiás.

De acordo com a Polícia Civil, foram 10 meses de investigação com apoio de diversas outras unidades da PC. No caso, os policiais prenderam nove pessoas, apreenderam 21 veículos de luxo, uma lancha, aproximadamente R$ 2 milhões em espécie e R$ 5 milhões em cheques. A apresentação do caso, com a disponibilização de imagens e detalhamento das investigações, foi realizada na manhã do dia seguinte, no auditório da Escola Superior da Polícia Civil (ESPC).

Ainda segundo as autoridades, dentre os presos, cinco já estavam em presídios goianos cumprindo pena por tráfico de drogas e os outros quatro são empresários. Não foram divulgados nomes e as apreensões aconteceram em Goiânia, Anápolis e Goianira.

O delegado Douglas Pedrosa, responsável pelo caso, disse que o grupo criou um banco fictício e seis empresas de fachada em ramos de turismo, venda de veículos e venda de materiais de escritório, todas para lavagem de dinheiro e comércio de drogas. “Ainda precisamos descobrir o destino dos dólares que, até então, a polícia acredita que eram usados para comprar mais drogas.”

De acordo com o investigador, em cinco anos o grupo movimentou cerca R$ 1 bilhão. Apesar disso, também há a confirmação de que as investigações ainda não foram concluídas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.