Paulo Leminski: um poeta que vai além da poesia

Se estivesse vivo, Paulo Leminski completaria 70 anos no último dia 23 e, consequentemente, encerraria sua adolescência, como disse em um poema

Paulo Leminski morreu no dia 7 de junho de 1989 em consequência do agravamento de uma cirrose hepática|Foto: Reprodução

Paulo Leminski morreu no dia 7 de junho de 1989 em consequência do agravamento de uma cirrose hepática|Foto: Reprodução

Além das fronteiras da poesia. Além das críticas de uma possível degradação, depredação da qualidade literária brasileira. Além. Leminski vai além da cova e continua inventando e vai continuando a aparecer como o poeta do futuro, enterrado, infelizmente, no passado.

Não posso dizer ao contrário. Aprendi com o Polaco Loco Pacas que poesia não faz da alma vazia. Que poesia não é uma “excrescência ornamental da sociedade”, como dizia. Ou seja, é um gozo necessário. Como um gol, em uma partida de futebol. Leminski, atacante, na frente de toda uma geração anunciava, desde sempre, que nossa mania de estar, de existir, ou seja, de ser exatamente aquilo que a gente é ia nos levar além. Além.

No haikai, modalidade poética oriental, o Cachorro Louco se aprofundou de tal maneira que resolveu ignorar as determinações literárias do estilo e introduzir sua poesia ali. Ele podia e fez. E multiplicou.

E por fim, também ultrapassou os limites de si mesmo: o Multiploleminski. Ele também vai além de mim, que escreve esse texto, e conclui sua poesia melhor do que qualquer um. Assim: a língua que eu falo trava/ uma canção longínqua/ a voz, além, nem palavra/ O dialeto que se usa/ à margem esquerda da frase/ eis a fala que me lusa/ eu, meio, eu dentro, eu, quase.

Abaixo o poema de Paulo Leminski, poeta, biógrafo, ensaísta, músico, compositor. Uma etecetera:

quando eu tiver setenta anos
então vai acabar esta adolescência

vou largar da vida louca
e terminar minha livre docência

vou fazer o que meu pai quer
começar a vida com o passo perfeito

vou fazer o que minha mãe deseja
aproveitar as oportunidades

de virar um pilar da sociedade
e terminar meu curso de direito

então ver tudo em sã consciência
quando acabar esta adolescência

3 respostas para “Paulo Leminski: um poeta que vai além da poesia”

  1. Avatar Ayana disse:

    Corrijam aí, é dia 24, não 23 ;)

  2. Avatar Dairan da Silva Lima disse:

    Excelente, Walacy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.