Paulo Guedes diz que Bolsonaro lhe telefonou para proibir a nova CPMF

Alíquota realmente fazia parte de uma reforma Tributária trabalhada pela equipe econômica do Governo Federal

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ligou para ele do hospital e pediu para que não fosse criada uma nova CPMF. A informação foi dada a correspondentes estrangeiros no Rio de Janeiro, nesta sexta, 13.

“Estávamos simulando um imposto de transação financeira, só que o presidente sempre foi contra esse imposto e pediu pra não colocar”, justificou Guedes, que confirmou que sua equipe realmente trabalhava no tema.

Esta nova CPMF, conforme o ministro, atuava com uma alíquota de 0,4% para o tributo sobre pagamentos. Segundo ele, os números não tinham que chegar ao público neste momento.

O responsável por divulgar um estudo para uma reforma Tributária que incluía a cobrança nos moldes da antiga CPMF foi o ex-secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, demitido na terça-feira, 10, por Guedes. Segundo o ministro, ele já tinha pedido para sair “inúmeras vezes”.

(Com informações do UOL)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.