Paulo Garcia: “PMDB é uma página virada. Uma página lamentável”

Durante lançamento da pré-candidatura do PT à Prefeitura de Goiânia, Paulo reforçou críticas ao PMDB e garantiu que exonerará cargos

Paulo Garcia, em discurso, durante solenidade na Câmara Municipal | Foto: Alexandre Parrode

Paulo Garcia, em discurso, durante solenidade na Câmara Municipal | Foto: Alexandre Parrode

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), engrossou ainda mais o discurso contra o até pouco tempo aliado PMDB. Durante lançamento da pré-candidatura da deputada Adriana Accorsi (PT) à prefeitura da capital, na manhã deste sábado (2/4), o petista fez duras críticas à legenda.

“O PMDB é página virada. Não se apaga a história, mas se vira a página e a história continua”, frisou em entrevista coletiva.

Quanto à reportagem bombástica da revista “Época”, que revelou que o ex-prefeito Iris Rezende (PMDB) teria recebido 500 milhões da Odebretch para a compra de sua fazenda no Mato Grosso, Paulo se limitou a dizer que ainda não teria tido acesso ao material.

Questionado se suas relações com o decano peemedebista teriam mudado, dado os últimos acontecimentos, o prefeito afirma que respeita a história de Iris Rezende, mas pondera: “A posição que o PMDB tem apresentado à sociedade, em Goiânia e em todo o País, é lamentável. Esta é uma página triste deste partido”.

Sobre a presença dos quadros do PMDB no primeiro e segundo escalão, Paulo adianta que seguirá os passos da presidente Dilma Rousseff (PT) e exonerará os nomes indicados pela legenda. “Não tenha menor dúvida”, frisou.

Durante entrevista, Paulo Garcia também refutou a especulação de que pode deixar o Partido dos Trabalhadores. “Sou homem de um partido só.”

Discurso acalorado

Em pronunciamento, Paulo Garcia enalteceu a gestão petista, tanto em nível municipal quanto federal, e disse que a bandeira da sigla é motivo de orgulho, e não de vergonha. “Se erros houveram, eles são mínimos frente à grandiosidade do nosso projeto”, asseverou.

Paulo também declarou total apoio ao nome da deputada estadual Adriana Accorsi e pediu unidade e empenho da legenda para eleger a colega. “Está nas nossas mãos lutar e levar esse projeto a cada homem e a cada mulher. Apenas coletivamente é possível construir resultados positivos”, acrescentou.

Por fim, engrossando o coro do “Não vai ter golpe”, o prefeito reforçou a importância política da presidente Dilma e do ex-presidente Lula, afirmando que “o Brasil é maior que os interesses de uma elite minoritária e conservadora”. Confira abaixo trecho do discurso acalorado de Paulo Garcia:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.