Paulo Garcia comemora equilíbrio fiscal de Goiânia e anuncia novos investimentos

Petista disse que existe uma preocupação nacional em relação à queda de arrecadação e aumento de despesas, mas que foi apresentado um superávit primário de R$ 40 milhões

Foto: Alberto Maia

Prefeito Paulo Garcia (PT) e presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Anselmo Pereira (PSDB), durante prestaçãoi de contas na Casa municipal | Foto: Alberto Maia

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (26/10), durante prestação de contas na Câmara Municipal de Goiânia, o prefeito Paulo Garcia (PT) explicou que a relação arrecadação e despesa é algo que preocupa em todo o território nacional, mas que em Goiânia tem trabalhado com mais tranquilidade, graças a um planejamento sério.

“A arrecadação tem caído e as despesas ordinárias sofrem no mínimo as correções inflacionárias. Mas, por enquanto, o que temos a comemorar é um equilíbrio fiscal”, disse, pontuando que foi apresentado até um pequeno superávit primário de R$ 40 milhões.

Conforme prefeito, é necessário estar sempre atento em relação ao controle das despesas, no sentido de cortar sempre onde for possível e necessário, e buscar sempre arrecadar cada vez mais, buscando receber dos inadimplentes e otimizando recursos.

Durante a prestação de contas nesta segunda-feira, na Comissão Mista, o petista informou aos vereadores que de 2014 a 2015, houve um aumento de 252,33% nos investimentos em Goiânia: um total de R$ 56.787.035,37. Conforme o petista, muitos dos recursos foram destinados pela presidente Dilma Rousseff (PT). “Temos que agradecer muito a presidenta. Goiânia talvez tenha recebido o maior investimento, proporcionalmente falando, do País”, ressaltou.

Sobre o projeto de depósitos judiciais, o gestor municipal explicou que a matéria foi enviada à Casa nesta segunda-feira prevendo cerca de R$ 60 milhões. Segundo Paulo Garcia, é necessária uma emenda extraorçamentária para poder utilizar esse recursos, porque não estão previstos no orçamento inicial.

“A Câmara precisa aprovar essa receita para que eu possa utilizá-las. Nossa dívida total de precatórios não chaga a R$ 30 milhões. Os outros R$ 30 [milhões] vamos trabalhar em benefício da cidade”, explicou.

O projeto ao qual Paulo Garcia se refere é relacionado à lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff no último mês de agosto. A matéria foi aprovada pelo Congresso e permite o uso de parte dos depósitos judiciais e administrativos por parte dos Estados e municípios.

Os depósitos referentes a processos judiciais ou administrativos ficam retidos e conforme texto, os bancos deverão transferir para a conta do Tesouro dos Estados ou municípios 70% do valor atualizado dos depósitos referentes a processo.

Já quanto ao projeto de aumento de IPTU/ITU, Paulo Garcia não quis comentar o reajuste, dizendo apenas que o projeto será enviado em breve para a Câmara Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.