Paulo César critica prazo curto para realizar nova eleição do MDB Goiás, marcada para dia 2

Convenção do partido chegou a ser iniciada na tarde da última sexta-feira, 18, mas foi interrompida após decisão da Justiça favorável a um pedido do deputado estadual

O deputado estadual Paulo César Martins (MDB) afirmou que recebeu com surpresa a convocação e deliberação durante reunião executiva do MBD realizada na tarde desta segunda-feira (21). A sigla decidiu que será feita nova eleição para formação do Diretório Estadual.

Novo edital deve ser publicado na próxima quarta-feira (23). O dia para inscrição de chapas será na quinta-feira (24) e, na sexta-feira (25), a comissão responsável se reunirá para avaliar o registro das chapas inscritas. O novo pleito está previsto para o dia 2 de julho, das 13h às 17 horas, também no sistema híbrido (presencial e on line).

“Infelizmente esse prazo curto, mais uma vez, acaba por impedir a ampla participação de todos colegas emedebistas que estão também com vontade de participar mas não podem, em sua grande maioria, pelo fato de que os diretórios não foram renovados. Vejo isso com certa dificuldade para o processo democrático, já que poucos diretórios poderão votar. Estão retirando a voz de muitos colegas emedebistas do estado e eu não gostaria que isso acontecesse”, destacou o deputado.

Segundo Paulo César, apenas parte do MDB estará participando, cerca de 35 diretórios. “Embora seja uma parcela relevante, homens corretos e de bem, pessoas de respeito, mas o ideal é que todos tenham voz. O grito hoje no partido é de que os militantes não estão tendo o direito de escolher e ser escolhido, o que não é democrático”.

Em nota, a executiva do MDB Goiás diz que a última eleição, marcada para sexta-feira passada (18), foi suspensa após a chapa concorrente a do atual presidente, Daniel Vilela, ter obtido uma liminar na Justiça (embora tivesse perdido em primeira instância e também junto ao Diretório Nacional). Esta chapa estava com o registro indeferido porque segundo o Estatuto do partido, não havia conseguido pelo menos 5% de assinaturas dos convencionais (146 com direito a voto, ao todo) em apoio formal àquele grupo.

A chapa de Daniel recorreu da decisão também na sexta. Ainda assim, o presidente do MDB em Goiás – que, vale ressaltar, tem mandato garantido até fevereiro de 2022 – colocou em votação na reunião da Executiva a possibilidade de revogar o edital e todos os atos referentes à eleição anterior; o que foi aprovado pela maioria – com voto contrário apenas do deputado estadual Paulo César Martins.

Paulo César questiona se o mandato de Daniel vence apenas em março de 2022. “Para que antecipar tanto assim a convenção do diretório? Veja que esta atitude dele não confere com o discurso que ele vem falando de não ser este o momento para falar sobre a eleição 2022. Ora , penso que um prazo razoável e democrático seria pelo menos 30 dias de edital para depois acontecer a eleição”.

O deputado ressalta que ainda irá reunir com correligionários que defendem sua posição no partido, se vai apresentar chapa para a disputa ou se vai procurar novamente a justiça. “Até o meio dia de manhã [terça-feira] o grupo terá uma decisão. Não é um projeto pessoal, mas é a luta para um partido melhor, fortalecido. Vou ouvir os companheiros acerca da participação nesta próxima Eleição do diretório.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.