Pastor Romeu Ivo ganha força e pode conquistar posto de vice-prefeito na chapa de Gustavo Mendanha

Representante da Igreja Assembleia de Deus Esperança pode ganhar apoio do bispo Oídes do Carmo e unir grupo da base do governador Ronaldo Caiado, que já tem como pré-candidatos o deputado federal Glaustin da Fokus (PSC) e Cairo Salim (Pros)

Pastor Romeu Ivo | Foto: Reprodução

Correndo por fora na disputa eleitoral de 2020, Pastor Romeu Ivo, representante da Igreja Assembleia de Deus Esperança pode ser o nome vai unir o grupo do governador Ronaldo Caiado (DEM) e do prefeito Gustavo Mendanha (MDB).

Filiado ao MDB, Pastor Romeu pode conquistar o apoio do bispo Oídes do Carmo, liderança da igreja Assembleia de Deus e aliado do governador, e aglutinar as pré-campanhas do deputado federal Glaustin da Fokus (PSC) e do deputado estadual Cairo Salim (Pros), ambos da base de Caiado.

Ao Jornal Opção, o emedebista disse que, pessoalmente, não tem participado de articulações, mas confessa que tem percebido um movimento em torno de seu nome. “Eu não sou político, mas se eu puder ajudar a cidade, essa é a minha missão, seja em qual área for. Mas não disputo e nem corro atrás dessa situação, se for para o bem eu ajudo no que puder ajudar. Mas a princípio não posso dizer que sou ou que não sou, isso vai depender dos majoritários”.

Pastor Romeu diz que encara a missão se o seu nome puder unir o grupo de Caiado e for aprovado por Mendanha. “Se for pra unir o grupo, eu posso ser parte. Mas só se for para unir, porque eu sou definidamente apoiador do Gustavo de primeira hora. Tenho muita proximidade com o prefeito e estou a disposição no que eu puder servi-lo”, pontua.

Nos bastidores, a conversa é de que Daniel Vilela, presidente estadual do MDB, e o próprio Maguito Vilela sustentam o nome do atual vice-prefeito, Veter Martins. O time atual conta com aprovação de quase 90% e, na visão de alguns líderes, isso por si só não justificaria uma mudança na composição política. Vanderlan Cardoso (PSD) também defende o nome de Veter que é seu correligionário.

Além disso, o fato de Romeu ser do MDB, mesmo partido de Gustavo Mendanha, também prejudica o projeto, uma vez que tradicionalmente, lideranças de Aparecida não gostam da ideia de uma chapa pura.

Por outro lado, pastor Romeu tem seus aliados e apoiadores. Se conquistar essa aliança para se lançar como o nome do Palácio das Esmeraldas, pode acabar atraindo o apoio do próprio MDB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.