Pastor da Assembleia é preso após manter mulher refém, cortar seu cabelo e exibi-la nua na web

Caso aconteceu em Campo Grande. Assembleia divulgou nota de repúdio contra o pastor e diz que abriu procedimento para excluir o membro 

Foto: Marcos Santos/EBC

A revista Universa divulgou nesta sexta-feira, 13, um caso de cárcere privado que acabou com a prisão de um pastor evangélico em Campo Grande. De acordo informações da polícia relatadas pela reportagem, Jesus Gorgs chegou a cortar o cabelo da vítima e exibi-la nua em uma transmissão na internet, torturas que teriam durado cerca de 12 horas.

Após a sequencia de crimes, Jesus se entregou à polícia. Os investigadores apontam que há registro de denuncia contra o pastor por ameaçar a vítima. Em nota divulgada pela Assembleia de Deus de Mato Grosso do Sul, a igreja afirma que repudia o crime e diz que não tolera os atos do pastor.

“Como uma instituição séria e debaixo da direção de Deus e da sua Palavra, condenamos com todas as forças atitudes que atingem a integridade física e a honra de qualquer mulher, assim como foi feito neste terrível episódio”, diz trecho destacado pela Universa, que acrescenta que a instituição está tomando medidas para excluir o membro.

O pastor segue preso e deve ser processado por cárcere privado, lesão corporal, ameaça e por exposição de imagem indevida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.