Passaportes em Goiás e em mais 6 Estados terão alerta contra tráfico de pessoas

O objetivo é qualificar as denúncias recebidas e orientar a população sobre como identificar esse tipo de crime.

Os estados com maior emissão de passaportes e maior registro de denúncias envolvendo tráfico de pessoas serão contemplados com uma iniciativa inédita do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Por meio de ação conjunta da Secretaria Nacional de Justiça (Senajus) e da Polícia Federal começa a ser distribuído, nesta quarta-feira, 29, dentro dos passaportes emitidos pela PF, um folder informativo com alertas-chave de prevenção e combate ao crime de tráfico de seres humanos.

Além de Goiás os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Ceará, Pará e Amazonas, e também o Distrito Federal, vão receber o projeto. O informativo que será distribuído apresenta sinais que indicam a situação de uma vítima – passaporte ou documentos de viagem na mão de terceiros; não conhecer o endereço da casa para onde vai ou do local de trabalho prometido; e falar pouco e não falar com familiares e amigos.

Há, ainda, orientações preventivas, como duvidar sempre de propostas de emprego fácil e lucrativo, pesquisar sobre o contratante antes de aceitar qualquer proposta; e deixar endereço, telefone e localização da cidade para onde está viajando.

Com 495 mil unidades impressas, o material contém QR CODE, cujo link vai diretamente para a página do Ministério da Justiça e Segurança Pública de combate a esse tipo de crime. O informativo também orienta vítimas e testemunhas a denunciarem casos ao Disque 100 e ao Ligue 180.

Segundo a PF, o objetivo é qualificar as denúncias recebidas, combater a subnotificação de tráfico de pessoas e orientar a população sobre como identificar esse tipo de crime e procurar as autoridades responsáveis.

Goiás

A rede que explora o tráfico internacional de pessoas tem conexões em todos os continentes. No Brasil, ela utiliza o estado de Goiás como importante polo de saída de mulheres para serem prostituídas em outros países. Esse diagnóstico foi traçado na pesquisa sobre o assunto que foi coordenada pela professora Telma Durães, da Universidade Federal de Goiás (UFG). A pesquisa é intitulada Tráfico Internacional de Mulheres: Goiás – Pensando a Prevenção.

Entre as informações analisadas durante a pesquisa estão dados da Polícia Federal que colocam Goiás no topo de uma lista de inquéritos instaurados no País, de 1999 a 2011, para investigar o tráfico de pessoas. O estado registrou no período um total de 174 indiciamentos de suspeitos.

Outra informação importante foi apurada junto à Resgate Brasil, uma ONG suíça que atua no Brasil e presta atendimento às vítimas, promovendo sua ressocialização: em 2011 retornaram ao Brasil 54 pessoas que viviam em situação de vulnerabilidade na Europa. Desse total, 21 retornaram para Goiás, sendo que a maioria foi explorada sexualmente naquele continente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.