‘Passaporte da vacinação’ é alternativa para municípios goianos conterem Covid-19

Superintendente de Vigilância em Saúde, da SES-GO, Flúvia Amorim, afirma que antes de ser adotada qualquer estratégia, é necessário entender quem ainda não se imunizou e porquê

Cartão de vacina que comprova imunização contra Covid-19 | Foto: Márcia Leal/PMCI

Com o objetivo de conter a transmissão da Covid-19 nos municípios, estratégias de incentivo à imunização deverão ser aplicadas com base na demanda de cada cidade. Entre elas, a exigência de um ‘passaporte de vacinação’ para entrada em eventos e estabelecimentos e a aplicação de doses em horários alternativos são opções estudadas.

Para que sejam aplicadas as medidas adequadas às demandas de cada município, a superintendente de Vigilância em Saúde, da SES-GO, Flúvia Amorim, afirma que a orientação é que seja realizada uma busca ativa de quem ainda não se vacinou em cada local e o porquê. “Essa avaliação não é complicada. Basta verificar, dentre as faixas etárias que já deveriam ter se vacinado, qual a que menos foi imunizada. Por telefone é possível saber isso e entender a motivação das pessoas que não receberam as doses”, pontuou Flúvia.

Esta etapa, segundo a superintendente, é crucial para que seja aplicada a estratégia adequada a cada situação específica. “Se a não vacinação for por dificuldade de acesso, por a pessoa trabalhar durante a semana, em horário comercial, e não conseguir sair do trabalho pra vacinar, esse tipo de estratégia como a do passaporte da vacinação, não vai funcionar, será preciso abrir postos de vacinação em horários alternativos”, explica.

Nos casos da não imunização por incompatibilidade de tempo e disponibilidade da população, a orientação é que os municípios realizem maratonas de vacinação em períodos noturnos e aos fins de semana. No entanto, o passaporte da vacinação, que consiste na cobrança de certificado que comprove a imunização para a entrada em estabelecimentos, é uma ótima alternativa caso o cenário comprove não vacinação por recusa à vacina.

“Se for por recusa, essa estratégia funciona muito bem, já que as pessoas só vão poder entrar em cinemas, shows, por exemplo, se tiver com as duas doses tomadas. No entanto, é preciso ter um estudo, porque geralmente quem vai em show é mais jovens, e até o momento não tivemos problema com adesão de jovens”, esclarece.

Passaporte da vacina

A cobrança de comprovante de imunização contra a Covid-19 já é estudada por municípios brasileiros. Nesta sexta-feira, 27, a prefeitura do Rio de Janeiro já publicou, por meio de decreto (nº 49335), que passará a exigir a comprovação obrigatória da vacinação contra o coronavírus para o acesso e a permanência no interior de estabelecimentos e locais de uso coletivo. As exigências estabelecidas na capital fluminense entram em vigor em 1º de Setembro.

Diferente da cidade do Rio de Janeiro, que exigirá a comprovação da vacinação para a entrada em locais como academias de ginástica, museus, entre outros locais de uso coletivo, a capital paulista também obrigará apresentação de certificação, mas somente para eventos maiores, como shows, jogos de futebol, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.