“Parlamento continuará independente com muito respeito e diálogo”, diz Lissauer Vieira

Deputados estaduais aprovaram na última terça-feira a antecipação da eleição da mesa diretora; presidente atual deve ser reeleito

Presidente da Assembleia, Lissauer Vieira | Foto: Ascom

Com a antecipação da eleição para a mesa diretora da Assembleia Legislativa garantida em segunda votação na última terça-feira, 22, o presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB), avalia que o parlamento “continuará sendo independente, tendo as suas prerrogativas, com muito respeito e diálogo”. A eleição foi antecipada de fevereiro de 2021 para o dia 30 de outubro deste ano com consenso dos parlamentares.

Lissauer afirma que os primeiros nove meses foram aparadas algumas arestas, com alguns conflitos naturais da democracia e do processo político. “Mas nunca com radicalismo, ofendendo as pessoas, nunca tentando travar o governo e as matérias de interesse do Estado de Goiás”, garante.

Além disso, diz que sempre pautou pelo respeito aos valores democrático, recebendo as matérias encaminhadas pelo governo e ouvindo a oposição. “Cabe aos 41 parlamentares discutir, debater, aprovar ou não aprovar. Estamos aqui para isso e vamos continuar assim. Não digo que a oposição teria sido contemplada 100% e a base não foi contemplada 100% nesse período”, diz.

O nome de Lissauer é bem quisto tanto pela base do governo quanto pela oposição para a reeleição. Tanto que na votação para a antecipação das eleições da mesa diretora não houve voto contrário. A tendência é a recondução dele para o cargo, já que teria pelos menos 25 deputados em seu apoio.

Um dos pontos de apoio dos deputados a Lissauer é o acordo do repasse do duodécimo junto ao governo do Estado. Em agosto, ficou acordado que o Executivo deve repassar para o Legislativo R$ 96 milhões no ano que vem, o que deve ser consolidado na Lei Orçamentária Anual (LOA) a ser votada em dezembro.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.