Parlamentares brasileiros enviam ofício contra legalização do aborto na Argentina

Senador Eduardo Girão (CE) e deputado Roberto Lucena (SP), ambos do Podemos, argumentaram que decisão dos argentinos abre precedente para que Brasil adote mesma medida

O senador Eduardo Girão (CE) e o deputado Roberto Lucena (SP), ambos do partido Podemos, enviaram nesta terça-feira, 29, um ofício à senadores argentinos pedindo que rejeitassem a aprovação da legalização do aborto no país.

Os parlamentares brasileiros, que são ligados ao grupo conservador Pró-Vida, argumentaram que a decisão argentina abre um precedente para que o Brasil adote a mesma medida.

“A legalização do aborto tem servido aos interesses econômicos globais de grandes fundações internacionais que lucram imoralmente com essa cultura da morte, promovendo massacres de bebês indefessos no ventre de suas mães. A verdade é que não há nenhuma preocupação pessoal com esta mulher que está em uma situação vulnerável quando decide abortar”, afirmaram os dos dois parlamentares no documento.

Em outro trecho, ainda é dito que seria muito importante para a América Latina que os argentinos mantivessem a decisão de dois anos atrás, quando rejeitaram a legalização do aborto.

Aprovação

O Senado da Argentina aprovou a legalização do aborto nesta quarta-feira, 30, por 38 votos a 29 e uma abstenção.

Os parlamentares argentinos apoiaram a proposta do governo para permitir a interrupção da gravidez até a 14ª semana de gestação.

“O aborto seguro, legal e livre é lei. Hoje somos uma sociedade melhor que amplia os direitos das mulheres e garante a saúde pública”, disse o presidente do país, Alberto Fernández.

(Com informações da Veja)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.