Segundo Elias Vaz, R$ 5,8 milhões em gastos do presidente são considerados sigilosos no portal da transparência

Foto: Johannes Eisele/AFP

O deputado federal Elias Vaz (PSB) protocolou, na Câmara, uma proposta de fiscalização das despesas efetuadas com o cartão corporativo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Segundo ele, no portal da transparências há muitos dados classificados como sigilosos.

“Por que o presidente esconde os seus gastos”, questionou. Elias informou, ainda, que os gastos com cartões corporativos considerados sigilosos somam R$ 5,8 milhões. Isto é, 15% a mais de comparados com o mesmo período de 2018.

O parlamentar argumenta, também, que o montante ultrapassa o limite determinado pela Secretaria de Administração da Presidência. “Esses gastos são questionáveis, sobretudo porque, quando era deputado federal, Bolsonaro criticava as despesas com cartão corporativo”, assinala.