Paralisados há 83 dias, professores do Tocantins decidem pelo fim da greve

Aulas retornam em todos os colégios do Estado na próxima segunda-feira (31)

Paralisados há 83 dias, os professores da rede estadual do Tocantins definiram pelo fim da greve da categoria, após assembleia geral, realizada na última quinta-feira (27/8). As aulas retornam em todas unidades educacionais do Estado a partir a da próxima segunda-feira 31).

Com atividades paralisadas desde o dia 5 de junho, os estudantes perderam 37 dias letivos. De acordo com a Secretaria de Educação do Estado (Seduc), as aulas serão repostas a partir de um calendário específico que será definido a partir desta sexta-feira (28).

De acordo com secretário estadual de Educação, Adão Francisco de Oliveira, cada escola será analisada individualmente e não está descartado estender o turno de aula para ser possível a reposição. “Vamos planejar um calendário dentro das características e regionalidades de cada unidade”, frisou.

Segundo a Seduc, a última proposta encaminhada ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sinset) reduz o prazo para pagamento das progressões de 2013 para quatro parcelas entre os meses de agosto e novembro de 2015. Anteriormente, este valor, que soma mais de R$ 6,6 milhões, seria pago em seis parcelas.

Em relação à incorporação das progressões referentes ao ano de 2014, a nova tratativa determina o pagamento em duas parcelas, sendo a primeira em setembro e a segunda em outubro de 2015.

A eleição para escolha dos diretores escolares, outra reivindicação dos grevistas, também foi contemplada pelo governo. Um edital para o processo deve ser publicado já no mês de setembro. Segundo Adão Francisco, os candidatos ao cargo de direção das unidades educacionais deverão passar inicialmente por uma avaliação de títulos e conhecimento técnico em gestão escolar.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Epaminondas

Finalmente! Ninguém mais suportava a queda do PIB do Tocantins durante a paralisação desta classe tão relevante!