Para segundo semestre, Assembleia deixará de priorizar matérias do Executivo

Preferência será dada a propostas dos deputados. Decisão foi tomada após almoço entre o presidente Lissauer Vieira (PSB) e outros 11 parlamentares

Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Na quarta-feira, 31, em almoço, o deputado estadual e presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa, Humberto Aidar (MDB), reuniu-se com o presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB) e outros dez deputados para discutir a prioridade das votações em plenário.

Ficou decidido que, diferente do primeiro semestre, as matérias do Executivo não serão mais prioridade. Agora, as propostas dos parlamentares terão preferência no andamento. “Votamos muitos projetos do governo e pouco dos deputados. Precisamos inverter essa lógica”, disse Aidar.

“A Assembleia não pode ficar só por conta de apreciar projeto de governo. Não tem sentido. Tem excelentes projetos que passam pela CCJ, mas caducam, porque a gente tem apreciado só matérias de governo”, completou.

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

Ele ainda argumentou que o Legislativo já ajudou muito o governador Ronaldo Caiado (DEM) nesses primeiros meses de Legislatura. “Do Governo nós fizemos o que tinha que fazer: aprovamos todos os projetos. Eles têm importância, mas nós não podemos deixar de dar importância aos projetos dos parlamentares, caso contrário, vamos passar o resto do ano e as pautas vão caducar”, explicou.

Os deputados estaduais voltam às suas atividades nesta quinta-feira, 1º, após o recesso de julho, mas com sessão plenária apenas na terça, 6. A partida para o descanso foi precedida por sessões acaloradas na Alego em prol da votação de uma autorização para que o Estado entre no Regime de Recuperação Fiscal (RRF)

No recesso, no entanto, a base parece ter esmorecido e boa parte dos parlamentares se mostraram insatisfeitos com o Governo. Humberto Aidar foi um dos que desabafou sobre a relação com o Jornal Opção. Os legisladores estariam dando demais e recebendo de menos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.